Dispensáveis! Ponte Preta libera Rodrigo Biro, Wellington e Fábio Santos

O volante Dedé e os meias Fagner e Thomás são outros nomes que podem deixar o Majestoso

Publicado em .

O lateral-esquerdo Rodrigo Biro e os atacantes Wellington e Fábio Santos sequer treinaram com o restante do grupo e não continuarão para a disputa do Campeonato Brasileiro.

Campinas, SP, 15 (AFI) – A reapresentação do elenco da Ponte Preta, nesta quarta-feira, não contou com reforços, mas teve novidades. O lateral-esquerdo Rodrigo Biro e os atacantes Wellington e Fábio Santos sequer treinaram com o restante do grupo e não continuarão para a disputa do Campeonato Brasileiro.

Wellington e Fábio Santos, que tinham vínculo até o final de maio, já rescindiram os contratos com o time de Campinas. Enquanto isso, Rodrigo Biro foi liberado para negociar com outros clubes. Como tem contrato até maio de 2016, ele deve ser emprestado.

Wellington Tanque foi um dos liberados pela Ponte Preta nesta quarta
Wellington Tanque foi um dos liberados pela Ponte Preta nesta quarta

“Todos sabem que a Ponte tem um orçamento limitado, portanto se haverá jogadores chegando, teremos que abdicar de outros atletas que, por uma razão ou outra, não renderam o que se imaginava”, explicou o gerente de futebol Gustavo Bueno.

A tendência é de que a lista aumente nos próximos dias. O meia Fagner treinou nesta quarta, mas também rescindirá o contrato. Mesma situação é vivida pelo volante Dedé, outro que não rendeu o esperado. O meia Thomás, cujos direitos pertencem ao Flamengo, também deve ser reemprestado a outro time.

OS REFORÇOS
Sobre reforços, a diretoria não fala os nomes publicamente. No entanto, o lateral-esquerdo Gilson, do Cruzeiro, o volante Marcos Serrato, do Paraná, e o atacante Felipe Azevedo, do Sport, têm negociações bem encaminhadas. Até a próxima semana devem chegar até cinco reforços.

“Posso dizer que são atletas com bagagem e ‘know how’ de Série A, e creio que irão agradar. Não estamos falando necessariamente de renome, até porque ter nome nem sempre resolve em campo, mas entendemos que há necessidade de qualificar ainda mais o elenco e não de quantificar”, despistou Bueno, sem citar nomes.