Vitória x Guarani - É a hora de o Bugre mostrar que quer o acesso!

Os dois clubes estão entre os favoritos ao acesso, mas o Bugre ainda não engrenou

Publicado em .

Salvador, BA, 11 (AFI) – Apontados como dois dos favoritos ao acesso do Campeonato Brasileiro da Série B, Vitória e Guarani fazem um confronto com cara de decisão. Tentando se aproximar dos líderes, o Bugre vai até a Bahia enfrentar o Leão, no Estádio Barradão, em Salvador, na abertura da 6ª rodada da competição.

Na rodada passada, o time rubro-negro conseguiu uma importante vitória sobre o Boa Esporte, por 2 a 1, fora de casa. Resultado que fez o Leão se recuperar do empate contra o América-RN, em casa. Com isso, assumiu a quarta posição, com dez pontos.

Por outro lado, o Bugre tenta encontrar a regularidade na Série B. Após uma grande atuação na goleada sobre o Ceará, por 4 a 1, o time oscilou no empate contra o Barueri, por 2 a 2. Fez um péssimo primeiro tempo, quando saiu perdendo, por 2 a 0, mas se recuperou e empatou, por 2 a 2. Empate que deixo o clube na 12ª posição, com seis pontos.

Retrospecto
A história recente tem se mostrado favorável ao Alviverde campineiro. Isso porque o Bugre não perde para o adversário desta terça-feira há quase oito anos. A última aconteceu em 24 de julho de 2004, quando o Vitória ganhou, por 3 a 2, pelo Brasileirão. De lá para cá, foram duas vitórias e três empates.

No histórico geral, a vantagem também é campineira. No total, foram disputadas 29 partidas entre ambos, com dez vitórias bugrinas, 11 empates e oito vitórias rubro-negras. O Bugre anotou 40 gols e sofreu 34.

Artilheiro do Brasil é a arma

Artilheiro é a arma
Maior artilheiro do Brasil em 2012, com 35 gols, Neto Baiano continua a ser a principal arma do técnico Paulo César Carpegiani. O artilheiro está confirmado para o duelo, embora tenha sido substituído por Adaílton, no treino de domingo.

Enquanto o atacante está confirmado, Carpegiani começou com duas preocupações nas laterais. O lateral-direito Léo chegou a ser vetado por contusão, mas vfoi liberado de última hora. Carlinhos e Gabriel Paulista, que treinaram no setor, serão apenas opção. Já o lateral-esquerdo Mansur ficará mesmo fora e será substituído por Wellington Saci.

Por outro lado, o técnico terá três reforços. O volante Michel, que estava suspenso, o meia Eduardo Ramos e o atacante Dinei, recuperados de lesão, retornam. Dos três, o único que deve ser titular é Dinei. Ele atuará ao lado de Neto Baiano no ataque. Com isso, Marquinhos será recuado ao meio para a vaga que seria de Eduardo Ramos.

Sem marcação individual
Apesar de dar uma atenção a Neto Baiano, o técnico Osvaldo Alvarez, o Vadão, revelou que não fará marcação individual no jogador. O treinador aposta em uma boa marcação coletiva do Bugre. Para isso, deixou evidente que o time deverá trabalhar para impedir que a bola chegue em Neto Baiano. “Temos que neutralizar o conjunto do Vitória e não apenas um jogador”, afirmou.

Clebinho está fora

Vadão, aliás, ganhou mais um problema para o jogo. O atacante Clebinho sente dores musculares e não entrará em campo em Salvador. Contratado do Botafogo, Clebinho tornou-se a principal opção do técnico para o lugar do ídolo Fabinho, hoje no Cruzeiro. O jogador vem sendo titular, desde então, formando dupla de ataque com Ronaldo.

Sem Clebinho e Bruno Mendes, que também é titular, o Bugre terá sérios problemas para escalar o ataque. As primeiras opções seriam os meias Rafinha e Thiaguinho, que entraram no decorrer do empate contra o Grêmio Barueri, por 2 a 2, neste sábado. O segundo deve ganhar a vaga.

Vadão também pode ganhar um problema de última hora. O zagueiro Domingos voltou a reclamar de dores na panturrilha e deve fazer testes antes da partida para saber se joga. O mesmo já havia acontecido antes do duelo como Barueri, mas ele foi para o jogo. Se ele for vetado, o jogador Rodrigo Arroz será o titular.

Além de Clebinho, o treinador ainda tem outros desfalques. São os casos dos laterais Bruno Peres e Oziel, do volante Wellington Monteiro, dos meias Fabrício e Fumagalli e do atacante Bruno Mendes, que já estavam fora.