Apesar de bagunçada e com choros, Copa América dá tranquilidade a Tite

Até o craque Lionel Messi fez graves acusações contra os organizadores do torneio.

por Tiago Caetano - Campinas

Campinas, SP, 11 (AFI) - O Brasil se consagrou campeão pela nona vez na história ao bater a seleção peruana por 3 a 1 no estádio do Maracanã no último domingo. Mas qual foi o nível da Copa América?

PRIMEIRA FASE

Na fase de grupos, Colômbia, Chile e Uruguai chegaram a demonstrar um futebol minimamente satisfatório, enquanto Brasil oscilava e a Argentina sofria para obter os resultados.

SEGUNDA FASE E MATA-MATA

Já na segunda parte do torneio, a grata surpresa foi o Peru, que eliminou o Uruguai, com toda sua tradição, e o Chile, que tecnicamente é muito bom. Brasil e Argentina fizeram o clássico no torneio e os comandados por Tite, mesmo sem encher os olhos, conseguiram ser eficientes e sólidos para alcançar seus objetivos.

FOI MERECIDO

É incontestável o título da seleção, uma equipe muito bem protegida na defesa, que cria muitas oportunidades de gols, pressiona o adversário sem a bola e recupera com rapidez a posse de bola.

É SUFICIENTE?

É fato que na América do Sul, o futebol deixa a desejar e o Brasil acaba se beneficiando, Argentina bagunçada, Colômbia com um novo trabalho e o Chile tendo uma geração envelhecida facilita o trabalho do Brasil.

Mas para enfrentar as seleções europeias, precisa de algo a mais, com um cardápio mais variado e um futebol mais sofisticado.

FALTA DE ORGANIZAÇÃO E RECLAMAÇÕES

A nota ruim do torneio ficou para os gramados, o alto valor dos ingressos e atuação dos árbitros, que gerou muita polêmicas. O craque Lionel Messi fez graves acusações contra os organizadores do torneio.

Se tecnicamente o campeonato deixou a desejar, o torneio serviu para dar um pouco de tranquilidade para sequência do trabalho ao técnico Tite no comando da seleção brasileira.

Tiago Caetano
Veja perfil completo
Veja todos