Poucos gols e futebol ainda limitado na abertura da Copa Libertadores

Os clubes brasileiros venceram quatro jogos, empataram um e perderam dois. Nada mal, para este começo.

por SÉRGIO CARVALHO - - - Campinas

A primeira rodada da fase de grupos da Copa Libertadores não empolgou. Pelo menos no que se refere a marcação de gols. Essa análise, é bom que se diga, limita-se apenas a estreia dos sete clubes brasileiros que representam o futebol do Brasil nesta competição.

Nesta primeira rodada só um jogou em casa, o Atlético Mineiro. Os demais jogaram fora. Quatro venceram (Internacional, Cruzeiro, Flamengo e Palmeiras) e um empatou (o Grêmio Portoalegrense).

E só um, que jogou em casa (o Atlético Mineiro), perdeu. De todos eles, só o Verdão fez mais de um gol. Os demais fizeram apenas um, o que mostra a dificuldade dos clubes brasileiros em transformar em gol suas jogadas ofensivas.

AO ESTILO FELIPÃO

A vitória do Palmeiras, por exemplo, foi justa mas não entusiasmou ninguém. Felipão prendeu seu time na defesa e jogou no contra ataque, mesmo diante de um adversário que lhe era nitidamente inferior (o Junior de Barranquilla).

Esse sistema de jogo é característica dos times dirigidos por Luiz Felipe Scolari. Uma característica que impediu seu time de chegar as finais da Libertadores do ano passado e pode se repetir em 2019.

A verdade é que, com o elenco milionário que tem em mãos, Felipão deveria ser mais ousado, procurar impor mais seu jogo e procurar fazer o máximo de gols que, na hora de definir o mando na fase dos mata matas, pode ser de fundamental importância.

Rodriguinho fez o gol da Raposa
Rodriguinho fez o gol da Raposa
TRES VITÓRIAS
Os outros três clubes que venceram seus jogos foram foram o Internacional, que com gol de Sóbis fez 1 a 0 diante do bom time do Palestino;

o Cruzeiro, que enfrentou o Huracan, na Argentina, e com gol de Rodriguinho, ex Corinthians, somou seus primeiros três pontos nesta Copa e o Flamengo, que fez 1 a 0, gol de Gabigol, no limitado San José e quebrou uma velha escrita que o impedia de vencer nos jogos de estreia da Libertadores.

O Grêmio, por sua vez, era um time em quem eu confiava muito. Considero a equipe dirigida por Renato Gaúcho como uma das favoritas a chegar ao título.

Mas nesse jogo diante do Rosário Central, da Argentina, o tricolor gaúcho me decepcionou. Levou um gol do Rosário, conseguiu empatar pouco depois através do excelente Everton e ficou nisso.

SEM POTENCIAL OFENSIVO
Faltou maior potencial ofensivo para o Grêmio que, se não melhorar esse setor, poderá complicar-se nesta Copa.

O Atlético, que acima eu disse, perdeu em casa para o Cerro Porteno, em BH, até teve mais posse de bola mas seu ataque também não produziu o esperado. O resultado de 1 a 0 para o time argentino foi justo e a derrota em casa pode complicar o Galo no rush final da fase de grupos da Libertadores.

Rafael Sóbis fez o gol da vitória do Colorado
Rafael Sóbis fez o gol da vitória do Colorado

DÁ PRA RECUPERAR
Finalmente, vou falar do Atlético do Paraná. Furacão perdeu para o Tolima por 1 a 0 e começou essa importante fase da Libertadores com derrota. Mas como ela foi fora, há chance de recuperação quando começar a jogar em Curitiba.

De qualquer forma seria importante que o time fosse mais ofensivo e tentasse mais vezes concluir contra o gol adversário. Se não melhorar esse setor a chance de classificação para os mata matas estará complicada.

BOM RETROSPECTO
Em resumo: na rodada de abertura da fase de grupos, os clubes brasileiros venceram quatro jogos, empataram um e perderam dois. Nada mal, se considerarmos que dos sete brasileiros que estiveram na disputa, só o Atlético de Minas jogou em casa.

Em sete jogos, marcaram seis gols (média baixa) mas só sofreram três (o que prova que seus sistemas defensivos estão bem armados).

C *U * R * T * A * S

* A SEGUNDA rodada da fase de grupos da Libertadores será disputada no próximo meio de semana. Na terça-feira jogam Nacional do Uruguai x Atlético Mineiro, em Montevidéu, as 21h30 O Palmeiras recebe o Melgar, na Alllianx Arena as 19h15 enquanto o Grêmio Portoalegrense joga em seu estádio contra o bom time do Libertad, a partir das 21h30.

Na quarta-feira o Cruzeiro joga em casa contra o Deportivo Lara as 19h15, É favorito. O Flamengo joga no Maracanã diante da LDU, as 21h30 e o Inter pega o Alianza de Lima, a partir de 21h30.

* NA QUINTA feira só um jogo de time brasileiro. O Atlético PR enfrenta o Jorge Wilsterman, da Bolívia, a partir das 21 horas, em Curitiba. Tem boa chance de faturar os três pontos. Essa fase de grupos terá dois turnos. Jogos de ida e volta.

Cada clube vai jogar seis vezes até o final dessa fase. A chance de que os clubes brasileiros se classifiquem para a fase dos mata matas, que é a mais importante, é grande. Mesmo nos casos de Atlético Mineiro e Atlético do Paraná que perderam seus jogos de estreia. Lembro que só 2 dois se classificarão por grupo.

COPA DO BRASIL MOVIMENTADA

* A COPA DO Brasil também teve sequência no meio desta semana. O Santos enfrentou o América de Natal e venceu por 4 a 0. Foi um show da equipe dirigida pelo argentino Sampaoli. Os gols foram marcados por Derlis Gonzales, aos 34 minutos do primeiro tempo. No segundo marcaram Jean Mota aos 15, Rodrygo aos 24 e Aguilar, aos 38.

O melhor jogador do Peixe foi o jovem Rodrygo que barbarizou durante todo o jogo. O pior jogador do Santos foi o volante Alison. Não acertou uma boa jogada. Foi substituído pelo jovem Jean Lucas, que foi bem.

GOLEADA DO PEIXE

* COM a vitória por goleada o Santos garantiu sua presença na terceira fase da Copa do Brasil 2019. Também o Fluminense, do Rio de Janeiro, que venceu o Ypiranga, do Rio Grande do Sul por 3 a 0 neste meio de semana, classificou-se para a próxima etapa desse torneio.

Um torneio que, por enquanto, não empolgou já que os confrontos entre clubes de todo o Brasil está muito desequilibrado. Só no rush final é que essa Copa vai deslanchar. Clubes tem interesse em conquistar o título porque a CBF dá nesta Copa o maior prêmio do Pais ao campeão.

SÉRGIO CARVALHO - -
Sérgio Carvalho é um dos ícones do jornalismo esportivo brasileiro. Sua coluna ganhou mais de cincoenta prêmios durante o período em que foi publicada pelo Diário de São Paulo (antigo Diário Popular) durante mais de vinte anos. Hoje é um dos pontos de referência entre os colunistas do Futebol In
Veja perfil completo
Veja todos