Clássico semifinal na Vila Belmiro é uma grande piada

Mesmo com torcida única os órgãos de segurança liberaram apenas 11 mil ingressos. Os clubes e a FPF perdem receita e prestígio

por - - - REDAÇÃO - Campinas

Campinas, SP, 22 (AFI) - Piada ou brincadeira de mau gosto. Pode escolher como quiser, mas é como deve ser definida a marcação do clássico entre Santos e Palmeiras para a Vila Belmiro pelas semifinais do Paulistão 2016. Outrora palco de grandes estrelas como Pelé e Coutinho, mais recente de Robinho e Neymar, o estádio Urbano Caldeira está ultrapassado há muito tempo. Mesmo com torcida única os órgãos de segurança liberaram apenas 11 mil ingressos.

É falta de bom senso. Um jogo para uma grande festa das torcidas ser resumida a tão pouca gente. Os clubes e a Federação Paulista de Futebol (FPF) perdem em receita e em prestígio.


Embora o fato possa aumentar em alguns pontos de audiência a transmissão na televisão, é uma vergonha mostrar para o Brasil um clássico tão tradicional dentro de um cubículo. Seria o mesmo que o Corinthians mandar seus clássicos no parque São Jorge.

CONTRA O REGULAMENTO
Aliás, isso foge até mesmo o regulamento, que exige capacidade mínimo de 15 mil lugares para os estádios de clubes que participam da Série A1, o Paulistão. Seria natural o Peixe receber lá jogos com menor expressão, com os clubes do Interior por exemplo. Em contrapartida deveria ser proibido o local para clássicos.

Época em que a Vila ainda recebia mais gente, sem a instalação de cadeiras
Época em que a Vila ainda recebia mais gente, sem a instalação de cadeiras

O Santos não abre mão de seu “caldeirão”, onde não perde há cinco anos pelo Paulistão. Mas perde em receita, perde em marketing e, por isso mesmo, deveria ser castigado e proibido receber grandes jogos na Vila. Como pode um Flamengo jogar lá? Um Cruzeiro ou Atlético Mineiro? Um Grêmio ou Internacional?

Todo esta dinherama perdida deveria ser utilizada para a construção de uma nova arena santista, digna de suas tradições e conquistas. E o velho e tradicional Urbano Caldeira virar um museu. Afinal foi construído há 100 anos. Isso mesmo: foi inaugurado no dia 12 de outubro de 1916.

INTERIOR PASSADO PARA TRAS
Quantas vezes os clubes do Interior foram prejudicados com a argumentação absurda de que seu estádios não comportavam uma final. O mais prejudicado com isso foi a Ponte Preta nos anos 70, quando mostrava um futebol de alto nível e costumava perder um ou duas vezes por ano ao lado de sua torcida.

Vila Belmiro não acomoda bem nem seus próprios torcedores. Uma vergonha!!!!!
Vila Belmiro não acomoda bem nem seus próprios torcedores. Uma vergonha!!!!!

O mais patético nisso tudo é que este clássico é o primeiro de uma torcida só. E quando coube, de maneira confortável, os torcedores visitantes em lugar tão pequeno e inconveniente? Ridículo. É preciso mudar esta situação.

O Santos tira vantagem técnica e prejudica um espetáculo de tanta grandeza. Ou sua diretoria cria vergonha na cara e constroi uma arena digna ou vai mandar seus grandes jogos no Pacaembu, Morumbi, Arena Barueri...opções não faltam.

Os rivais também têm culpa no cartório. Afinal de contas não deveriam aceitar no regulamento tal absurdo. Corinthians, São Paulo e Palmeiras que dispõem de belos estádios já passaram da hora de dar um basta a este mau gosto. Ou vão continuar sendo prejudicados e perdendo títulos dentro do 'caldeirão' ou 'alçapão' os dois apelidos mais conhecidos da Vila.

Tomara que seja pela última vez que o ultrapassado Urbano Caldeira receba um clássico de tanta importância.

- - - REDAÇÃO
Esta coluna é publicada pela Editoria da Agência Futebol Interior. O PORTAL FUTEBOL INTERIOR é o mais completo site vertical de futebol do Brasil, com duas décadas de existência e que se tornou referência nacional quando se fala em futebol, a paixão nacional. E, totalmente, independente. Acom
Veja perfil completo
Veja todos