Pós-Copa América, VAR volta a chamar atenção nas competições brasileiras

Árbitros seguem cometendo erros nas partidas do Brasileirão e Copa do Brasil, mesmo com a ajuda da tecnologia

por FLÁVIO GUERRA - Campinas

É, parece que a parada no Campeonato Brasileiro para a Copa América não teve muito efeito positivo para a arbitragem. Logo na primeira rodada após o termino da competição sul-americana já tem time pedindo a anulação do jogo devido ao uso ou mau uso do VAR e polêmicas com a arbitragem.

Impressionante como alguns árbitros mesmo com o auxilio dessa importante ferramenta não consigam realizar boas arbitragens.

BANALIZOU
Relembrando o protocolo, o VAR não vai atuar em todas as situações de duvidas na partida. O VAR só pode ser usado em quatro situações: lances de gol/não gol, pênalti/não pênalti, cartão vermelho e erro de identificação na aplicação de cartões e a decisão final sempre será do árbitro de campo.

O sucesso do VAR vai depender muito da atuação da equipe de arbitragem. O árbitro de vídeo é mais uma ferramenta assim como o spray, a bandeira eletrônica o rádio comunicador etc.

O árbitro precisa entender que quem apita e decide é ele, tem que apitar como se não tivesse o VAR, caso contrário o em vez de ajudar o VAR poderá trazer ainda mais problemas como temos visto, pois está sendo banalizado.

Arbitragem de vídeo não agrada no Brasil. (Foto: Divulgação/CBF)
Arbitragem de vídeo não agrada no Brasil. (Foto: Divulgação/CBF)

CRITÉRIO
A Comissão de Arbitragem da CBF poderia usar como um dos critérios para as escalas do Campeonato Brasileiro o numero de vezes que o árbitro ou o assistente utilizam o VAR para tomarem as decisões.

Hoje o árbitro não decide mais sabendo que tem o árbitro de vídeo que pode ou não consertar seu erro. Assim fica muito fácil apitar ou bandeirar. Quando o árbitro de vídeo não é acionado ou é acionado raramente é porque o árbitro de campo está no controle e mostra sua competência.

RESULTADO
Apesar de termos um aumento nos acertos e reparação em vários erros no Campeonato é preocupante a atuação dos árbitros. No jogo entre Corinthians x CSA ficou claro o comodismo e o mau uso do VAR na arbitragem de Wagner Reway.

No segundo tempo marcou uma falta de Sornoza em cima do goleiro Jordi do CSA e teve que esperar o VAR para dar cartão amarelo, num lance claro. Depois uma penalidade máxima clara em Danilo Avelar que nem árbitro e nem VAR “enxergaram”.

Resultado, quem mais desejava o uso da tecnologia no futebol que era os árbitros estão conseguindo jogar contra e se continuar assim logo os próprios clubes serão contra a utilização por culpa dos próprios árbitros.

FLÁVIO GUERRA
Tenho 37 anos e sou professor de Educação Física desde 1999 e hoje trabalho como Diretor de Unidade na Fundação Casa em Campinas, onde iniciei em 2008 como agente educacional dando aulas de educação física para os adolescentes. Com 15 anos de idade comecei a apitar futebol amador em Penápolis minha
Veja perfil completo
Veja todos