Ex-árbitro, Flávio Guerra dá seus 'pitacos' sobre alterações na regra do futebol

Recentemente, a International Football Association Board (IFAB) realizou a 133ª Assembleia Geral Anual em Aberdeen, na Escócia

por FLÁVIO GUERRA - Campinas

MUDANÇAS NAS REGRAS
A International Football Association Board (IFAB) realizou a sua 133ª Assembleia Geral Anual em Aberdeen, na Escócia e discutiu as mudanças nas regras do Futebol 2019. A reunião contou com a presença de representantes da FIFA.

As discussões foram em várias áreas destinadas do jogo, a fim de melhorar as regras para o benefício do Futebol, bem como foi feita uma avaliação do uso do árbitro de vídeo (VAR). Serão 7 sete alterações que entrarão em vigor a partir de 1 de junho de 2019 em todas as confederações do mundo inclusive a CBF, que terá que se adaptar com o Campeonato Brasileiro em andamento.

SOBRE BOLA NA MÃO/MÃO NA BOLA
Sobre o toque da bola na mão/mão na bola, para deixar mais objetiva a regra, não será mais permitido que um jogador faça um gol ou leve vantagem em uma jogada usando a mão, mesmo que sem nenhuma intenção.

Opinião: Toda vez que a bola bater na mão do atacante dentro da área será falta, essa mudança vai facilitar em muito a vida do árbitro que não julgará mais a intenção, tocou na mão apita. Já em relação a outros momentos da partida, continua sendo interpretação do árbitro na hora de decidir o toque de mão. Irá diminuir, mas as polemicas com bola na mão/mão na bola vão continuar.

JOGADOR SUBSTITUÍDO
Agora um jogador substituído terá, obrigatoriamente, que sair pela linha limite mais próxima na região do campo que ele estiver, ou pela lateral ou pela linha de fundo. Não será mais tolerado retardamento do jogo, a famosa “cera”, no momento da substituição.

Opinião: Isso já era pra acontecer, mas por omissão e falta de personalidade dos árbitros não acontecia. Agora virou regra e não só os jogadores, mas também os árbitros serão cobrados para seguir.

CARTÕES PARA COMISSÃO TÉCNICA
Agora os membros das comissões técnicas (técnico, auxiliar técnico, preparador físico, medico e massagista) também poderão ser punidos com cartões caso comentam algum ato de indisciplina no banco de reservas. Eles podem ser punidos tanto com cartão amarelo quanto com cartão vermelho.

Opinião: Desnecessária essa mudança, muitos árbitros vão se esconder atrás dos cartões para controlarem as áreas técnicas. Uma “chamada bem dada” vale mais do que qualquer cartão em relação aos membros das equipes técnicas. Será uma bagunça o festival de cartões.

COBRANÇA DE TIRO DE META
Outra mudança importante é que na cobrança do Tiro de Meta não é mais obrigatório que a bola saia da grande área para entrar em jogo. Sendo assim, o goleiro agora pode cobrar o tiro de meta para um companheiro que esteja dentro da grande área.

Opinião: Não só no tiro de meta, em todas as cobranças de tiros livres dentro da área a bola não precisa sair da grande área para entrar em jogo. Essa é uma mudança interessante, dará mais agilidade e dinâmica ao jogo.

COBRANÇA DE PÊNALTI
Nas cobranças de Pênaltis o goleiro agora terá que manter pelo menos um pé sobre a linha de gol, não mais os dois pés, como era exigido anteriormente. Mais uma tentativa de regulamentar os avanços dos goleiros nas cobranças de pênaltis.

Opinião: Outra situação que já acontece, mas que raramente os árbitros tomavam providencia, nenhum goleiro consegue manter os dois pés sobre a linha na hora da cobrança do tiro penal, pelo um dos pés ele adianta. Outra mudança que facilitou a vida dos árbitros, agora é regra.

Ex-árbitro, Flávio Guerra dá seus 'pitacos' sobre alterações na regra do futebol
Ex-árbitro, Flávio Guerra dá seus 'pitacos' sobre alterações na regra do futebol
DISTÂNCIA DE 1 METRO DO ATACANTE DA BARREIRA
Para evitar o 'empurra-empurra' durante as cobranças de falta, outra alteração na regra foi aprovada. Agora, o jogador do time que tem a falta a favor deverá ficar a um metro da barreira defensiva.

Opinião: Outra mudança que facilitou a vida dos árbitros, desde que eles cumpram a regra. Nesse caso o uso do spray será necessário duas vezes, uma para marcar a distancia da barreira e outra para marcar um metro que o jogador adversário terá que ficar da mesma. Outra situação que fugiu do controle dos árbitros e agora virou regra.

BOLA AO CHÃO QUANDO A BOLA BATE NO ÁRBITRO
Outra mudança está em quando o árbitro deve dar 'bola ao chão'. O juiz deve acionar o recurso quando a bola bater em seu corpo e houver interceptação do árbitro no andamento da partida.

Opinião: Totalmente desnecessária essa mudança, se o árbitro é considerado “neutro” durante a partida, porque dar bola ao chão quando a mesma tocar em seu corpo? Em que momento será dado esse bola ao chão? Se uma equipe estiver com uma oportunidade clara de gol e a bola tocar no árbitro essa equipe será prejudicada com a marcação do bola ao chão? Quantas vezes a bola bateu no árbitro e entrou no gol para justificarem essa mudança? Vamos aguardar a orientação que a CBF dará aos árbitros sobre essa situação.

FLÁVIO GUERRA
Tenho 37 anos e sou professor de Educação Física desde 1999 e hoje trabalho como Diretor de Unidade na Fundação Casa em Campinas, onde iniciei em 2008 como agente educacional dando aulas de educação física para os adolescentes. Com 15 anos de idade comecei a apitar futebol amador em Penápolis minha
Veja perfil completo
Veja todos