A suruba de Jânio, os torquemadas e a suruba de 15 trilhões que o povo não vê

Faço isto para mostrar a falsidade, a platitude dos agentes políticos e nós jornalistas, que também habitamos essa órbita...

por DALMO PESSOA - - - São Paulo

Começo por uma história protagonizada pelo então prefeito Jânio Quadros e seu assessor Alex Freua Neto para mostrar como o jogo do faz de conta no teatro da política é sujo e favorece a fauna que habita os espaços que servem aos interesses menores. E faço isto para mostrar a falsidade, a platitude dos agentes políticos e nós jornalistas, que também habitamos essa órbita onde pululam gentalha de toda a ordem, e também somos coniventes.

A história de Jânio com Alex, com as ressalvas que se fazem necessárias, dado o caráter dos personagens, deve ser contada por inteiro. Jânio, um marqueteiro por excelência, ocupava os espaços midiáticos com inteligência. No caso presente que vamos citar, o prefeito chamou Alex, depois de pedir a sua secretária Kaline, muito recatada, que saísse da sala, e pediu:

--- “Alex, quero que você procure uma gráfica lá na Estrada das Lágrimas, porque preciso ocupar as manchetes da mídia”. Faça uns 200 lambe-lambes e cole debaixo do Minhocão. O texto é o seguinte: “JÂNIO GOSTA DE SURUBA’’, Mas dr. Jânio, como assim”? Questionou Alex.

Jânio ponderou:

“Suruba não é só o que você pensa. Suruba é confusão grande (confiram no site do Dicionário Aurélio)”.

TODAS AS MANCHETES
Pois é, no dia seguinte, Jânio ocupou todas as manchetes. A política, e as eleições, são festivais de platitudes e de malandragens. Não se discute nada seriamente.

O povo – ah o povo!, é figura à margem dos chamados debates porque não lhes contam toda a verdade. Até porque os interesses econômicos precisam ter garantias de que não se deve falar tudo porque se não o povo fica sabendo das sem-vergonhices desses falsos herois.

Os chamados debates foram ruins. No começo daquelas baterias de entrevistas com os candidatos, os torquemadas das falsas verdades preferiram açoitar com chicotes e seus chanfalhos e torrá-las nas fornalhas da Plim-Plim.

IMPÉRIO GLOBAL
Até que um dia, Bolsonaro fez tremer o império global com o editorial de Roberto Marinho em apoio à ditadura de 1964. Mirian Leitão não sabia aonde enfiar sua cara lambida. E os torquemadas por pouco não sentaram nos seus chanfalhos.

Perderam muito tempo os famosos perguntadores, com perguntas sobre aborto, gênero, política na escola, misoginia etc. Esses são importantes, mas e os outros?

Ora, e as questões principais de um país que está quebrado? Por que não perguntaram, por exemplo, o que segue:

1 - Por que não dissecaram que na Educação o país gasta 5% do PIB de 6 trilhões e 600 bilhões? Falta dinheiro prá Educação? Não. É bom não esquecer que Portugal gasta 5% do seu PIB, a Finlândia, 7,1%. O gasto de Educação no Brasil está na média da OCEDE – 5,5% (países ricos).

2 - A esquerda ficou contra a reforma da Previdência. Hoje, os gastos com benefícios são de 13%. Se Tiraram de lá, a Bolsa Família, as gordas indenizações dos anistiados políticos – lá ninguém ganha salário mínimo – a média da aposentadoria é de 1.300 reais – e os salários dos anistiados da guerrinha chegam a 20 mil reais (outros ganham mais).

Jatene: prestígio pelo CPMF
Jatene: prestígio pelo CPMF

3 - A Saúde está quebrada e querem uma nova CPMF. O dr. Adib Jatene foi enganado por Fernando Henrique Cardoso. FHC usou Jatene como bucha de canhão. A CPMF faturou 400 bilhões enquanto durou. A Saúde recebeu 100 bilhões. O resto passaram a mão. A CPMF foi um estelionato contra o povo.

4 - A Justiça é cara, produz pouco e segundo o ministro Luiz Roberto Barroso no STF tem até senha para soltar ladrão que rouba na Saúde, Mensalão, Petrobrás, Educação etc. Inacreditável.

5 - A Segurança e o sistema penitenciário são uma vergonha. O Código Penal é de 1940. Político não muda o código porque tem medo de cadeia. Os homens dos direitos humanos adoram isso.

A Policia é sempre culpada pela violência, a Justiça, porque a lei é um lixo, solta bandido e o cara volta a delinquir. Esse país é surrealista: o preso recebe mais do que um trabalhador, tem direito a visita íntima e, quando fica doente, tem preferência no atendimento em hospitais.

6 - Os banqueiros sugam o sangue de todos nós. Lula, por exemplo, jacta-se de que os bancos e os industriais nunca tiveram tanto lucro como no seu governo. Quem somos nós para contestar Lula diante dessa sua confissão?

7- Em 2016, o lucro dos banqueiros foi de 78 BILHÕES. Isso não é lucro. É vampiragem dos bilionários.

8 - A dívida interna não entrou nos debates da televisão, jornalões e rádios. É assunto que só interessa aos banqueiros. O povo que pague a conta. Quem quiser reclamar que procure o Papa Francisco.

9 - A dívida interna – hoje é de quase 5 trilhões e 400 bilhões. Sabem quanto custou o serviço da dívida em 2017? 500 bilhões, sugados de todos nós.

10 – Outro dia o presidente do BNDES – Dyogo Oliveira – disse na folha que o sistema financeiro do Brasil tem 9 trilhões em ativos; os fundos de investimentos têm 4 trilhões; outros investidores somam mais 2 trilhões e as “family office” tem mais de um trilhão.

Tudo isso soma mais de 15 trilhões. Esse dinheirão roda na especulação, pois a remuneração era de 10% ao ano. Como os juros caíram – e o Banco Central já quer aumentar – esse dinheirão rende hoje 4%.

O país está quebrado, mas dinheiro não falta. Os morcegos da especulação precisam ser combatidos. A suruba de Jânio encontrou, muito anos depois, a suruba financeira. Só os torquemadas midiáticos não viram nada, e nada do que interessa perguntar, esconderam a verdade e o povo vai pagar, outra vez, com seu sangue, suor e lágrimas.

DALMO PESSOA - -
Um dos mais importantes e polêmicos jornalistas esportivos do país, foi colunista do Notícias Populares, jornal de maior venda avulsa da capital por vários anos. Falando uma linguagem direta para o torcedor, ele era temido pelos dirigentes e pelos que pisavam no tomate. E Carlos Caldeira Filho,
Veja perfil completo
Veja todos