Ponte e outros clubes estão em débitos com atletas, mas agora por motivo lógico

Dívida se prende a direitos de imagens

por ARIOVALDO IZAC - - - Campinas

Foi alardeado por aí dívida da Ponte Preta com jogadores que integram o seu elenco e funcionários.

Claro que a obrigação de quem deve é pagar, até porque quem trabalha conta mensalmente em receber o dinheiro.

No caso do elenco, foi citado atraso de três meses de direitos de imagens e paralisação do acordo de pagamento de dez parcelas do corte de 25% dos direitos de imagens, situação provocada pela pandemia do coronavírus.

Gente, vamos cair na real. Uma tremenda recessão econômica tem abalado o País, e o futebol foi atingido em cheio sem receitas de bilheterias e freada de empresários em investimentos publicitários.

CORINTHIANS

Grandes clubes do futebol paulista passaram tremenda dificuldade no transcorrer de 2020.

O Corinthians chegou a atrasar três meses de salários aos jogadores, até começar a quitação parcial do débito.

Sebastião Arcanjo
Sebastião Arcanjo

Logo, não cabe esse tremendo barulho porque a Ponte Preta está em atraso com atletas e seus prestadores de serviço, em geral.

Afinal, trazendo o versículo bíblico de João 8:7 metaforicamente para a realidade, 'quem não tem pecado que atire a primeira pedra'.

Ou já se esqueceram que o atacante Eduardo Sasha denunciou o Santos por falta de pagamento de seus salários e direitos de imagem e se desligou do clube para se transferiu ao Atlético Mineiro?



MÁ GESTÃO

Se é compreensível que a atual crise econômica desarrumou qualquer planejamento feito por clubes, isso não isenta dirigentes da Ponte Preta de culpa por má gestão.

Elevaram a folha de pagamento do elenco nas nuvens, em contratações de jogadores extremamente questionáveis.

Pior é que mantiveram por longo período um gerente de futebol do Departamento Profissional que contratou mal, caso do já desligado Gustavo Bueno.

Pela incompetência ao gerir gastos com o futebol, o presidente Sebastião Arcanjo e seus pares de diretoria têm sim que ser responsabilizados.

Pois, agora, que aprendam com os erros para não mais repeti-los.

ARIOVALDO IZAC - -
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos