Operação 'abafa' do Guarani dá certo sobre o CRB

Time bugrino vence por 3 a 1, em Campinas

por ARIOVALDO IZAC - - - Campinas

Guarani trabalhou com duas frentes para vencer o CRB por 3 a 1, na tarde deste sábado em Campinas, e afastar a crise após derrota no dérbi campineiro.

Sabe-se lá de quem partiu a orientação para que os jogadores bugrinos iniciassem a partida exercendo forte pressão sobre o adversário, inclusive na saída de bola, e assim asfixiá-lo de tal forma que entregaria a 'rapadura'.

Como ninguém consegue intensidade o tempo todo, a projeção era construção do placar favorável e depois sabedoria para administrá-lo, inclusive com catimba do goleiro Gabriel Mesquita enquanto fosse possível.

Quem pensou na estratégia foi bem-sucedido.

Como não se transforma um time desfigurado da noite para o dia, grupo bugrino projetou que é possível apostar em superação, e contar com falhas do adversário para sucesso na execução do plano.

Pois bastaram 17 minutos de jogo para que o objetivo traçado pelos bugrinos revertesse em vantagem por 2 a 0.

Claro que elabora-se um plano de jogo quando o adversário está desfigurado de seu time titular, como foi o caso do CRB.

CRISPIM E WAGUININHO

Logo aos quatro minutos, Júnior Todinho foi ao fundo de campo, após receber passe de Eduardo Person, e cruzou rasteiro para o interior da área.

Aí, mérito para o meia Lucas Crispim que se enfiou entre os defensores Xandão e Igor Cariús, e de carrinho empurrou a bola pra rede.

Já aos 17 minutos, em outro ataque bugrino e bola cruzada da direita, lateral-direito Lucas Mendes 'dormiu' na marcação e o atacante Waguininho conseguiu antecipá-lo para, de cabeça, ampliar a vantagem.

A rigor, dois minutos antes, Lucas Mendes havia perdido a bola bisonhamente para Waguininho e a paciência do treinador Marcelo Cabo, do time alagoano, se esgotou antes de terminar o primeiro tempo, quando o sacou e mudou a configuração tática de seu time para três zagueiro, recuando o volante Claudinei na última linha defensiva, para entrada de Thiaguinho, que atuou no meio de campo.

FALHA DE DEIVID

Como é impossível manutenção de ritmo forte como o colocado inicialmente pelo Guarani, o CRB foi aos poucos se ajustando, devido ao padrão tático de aproximação de jogadores.

Assim, aos 19 minutos, em erro de passe do volante Deivid, o CRB soube explorá-la através do lúcido meia Diego Torres, em gol que contou com indevido posicionamento adiantado do goleiro Gabriel Mesquita.

No segundo tempo, a melhor distribuição tática do CRB se prolongou até o meia Diego Torres se cansar e já não rondar a área bugrina.

PÊNALTI

Como o atacante Safira é facilmente absorvido por qualquer zaga adversária, e o garoto Darlyson que o substituiu nada acrescentou, o Guarani passou a controlar o jogo sem susto.

Ou melhor: volante Lucas Abreu, que havia substituído Eduardo Person, foi lançado nas costas da zaga do CRB e o zagueiro Éverton Páscoa, por trás, o derrubou dentro da área.

O pênalti foi convertido por Arthur Rezende aos 44 minutos. Ele havia entrado no lugar de Crispim.

Tendência natural é que a vitória desanuvie o ambiente, mas o Guarani precisa projetar estágios gradativos de melhora, pois ainda está longe daquilo que espera o seu torcedor.

ARIOVALDO IZAC - -
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos