Ponte só melhorou após entrada de Camilo; apesar disso não deu

Time pontepretano perdeu para o Cuiabá por 2 a 1

por ARIOVALDO IZAC - - - Campinas

Cuiabá dois, Ponte Preta um. Placar normal na atual conjuntura, pois tratou-se do confronto do líder da Série B do Campeonato Brasileiro contra um postulante ao acesso que ainda depende de ajustes.

Neste jogo realizado na noite desta sexta-feira na capital mato-grossense, um comportamento aceitável da Ponte basicamente na segunda metade do segundo tempo, quando, derrotada por 2 a 0, empreendeu reação e diminuiu a vantagem do adversário. E continuou pressionando, sem contudo criar outras chances.

PRECAVIDA

Orientação inicial do estreante treinador da Ponte Preta, Marcelo Oliveira, foi montagem de duas linhas de quatro, e, se possível, explorar jogadas de velocidade através dos atacantes de beirada Moisés e Bruno Rodrigues.

De prático, no primeiro tempo, apenas uma escapada de Moisés com finalização de João Paulo à direita do goleiro João Carlos.

No mais, o que se viu foi o Cuiabá rodar a bola a procura de uma brecha para infiltração.

E num compartimento defensivo pontepretano que continua instável, o setor do zagueiro Alison foi explorado com toque sutil do meia Elvis para arremate com sucesso do baixinho Felipe Marques, aos 26 minutos.

A rigor, foi o período em que o Cuiabá explorou bastante o lado direito de seu ataque através de avanços do lateral Hayner, que fazia dobradinha ofensiva com Yago, atacante de beirada.

Reflexo daquele volume de jogo, mas desta vez pela esquerda, o lateral Romário cruzou e Elton, de cabeça, só não ampliou porque Ivan praticou difícil defesa.

BRUNO REIS

Erros de passes e ineficiência na marcação recomendaram que o volante Luís Oyama fosse sacado no intervalo para a entrada de Bruno Reis, que defensivamente foi melhor, e ainda procurou organizar saída de bola da defesa, por vezes errando.

Foi quando a partida já ficou equilibrada, mas com o Cuiabá ainda faminto para ampliar a vantagem, o que ocorreu aos 12 minutos, a partir de um erro do zagueiro Luizão na saída de bola, até que ela chegasse em Felipe Marques, que arriscou chute rasteiro de longa distância, com falha do goleiro Ivan, que chegou atrasado na bola: 2 a 0.

CAMILO

A Ponte ganhou mais vitalidade no campo ofensivo com a entrada do meia Camilo, na ousada substituição com a saída do volante Dahwan, aos 21 minutos.

Se a cabeça da área da Ponte ficou desguarnecida, apenas com Bruno Reis na proteção, o Cuiabá já não contava com a criatividade de Elvis, cansado, e apenas substituído aos 34 minutos.

E do volume de jogo pontepretano, que terminava em bolas alçadas, numa delas houve descuido de marcação de defensores do Cuiabá, e o zagueiro Luizão, livre, finalizou e marcou para a Ponte, ele que, antes do desdobramento da jogada, havia finalizado e o lateral Romário salvado.

Já sem seus atacantes de beirada Yago e Felipe Marques substituídos, para puxar jogadas de contra-ataques, o Cuiabá perdeu a força ofensiva e se preocupou em garantir o placar, recuando as linhas.

MATHEUS PEIXOTO

Se Moisés e Bruno Rodrigues ficaram devendo melhor rendimento, acrescente a atuação apagadíssima do centroavante Matheus Peixoto.

Ou se programa jogadas naquilo que ele tem de melhor - que é o cabeceio - ou se estuda outra alternativa na função.

ARIOVALDO IZAC - -
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos