Quem tem que ser cobrado na Ponte é o treinador, que veio pra dar solução

Cobrança foi generalizada aos jogadores, que no caso, são os menos culpados pela medidas tomadas pela diretoria

por ARIOVALDO IZAC - - - Campinas

Portal FI noticia reuniões & reuniões na Ponte Preta para discutir consequências de duas derrotas consecutivas e perda da privilegiada posição do G4 do Campeonato Brasileiro da Série B.

Essa 'barulheira' aí é pra impressionar, pra mostrar que estão antenados nos fatos, apenas.

Haveria menos barulhos se o gerente de futebol Gustavo Bueno tivesse discernimento pra contratar jogadores, e assim evitasse repetição de erros & erros nos negócios.

Pois preferem criar um colegiado pra dar palpites em contratações, como se homens ligados à diretoria do clube conhecessem a 'mortadela', para opiniões abalizadas.

Pra todos efeitos, naquele 'mundaréu' de palpites, Bueno não se julga ter errado sozinho, e no partilhamento de culpa acaba isentado.

Como cobrar o elenco se Bueno e os palpiteiros cometem erro primário no planejamento tático para formação do elenco.

ERNANDES

Contrata-se o lateral-esquerdo Ernandes, com características de fazer a diagonal quando ataca, e desconsidera-se que o atacante de beirada também faz a diagonal e despreza o fundo de campo, caso de Bruno Rodrigues. Quem vai ao fundo?

Boleiros são fieis à cartilha de que 'manda quem pode; obedece quem tem juízo'.

Logo, ouvem tudo sem contestação, diferentemente de boleiros bocudos de outrora, como o saudoso Mário Sérgio Pontes de Paiva, que jogaria a realidade citada acima na cara de membros da diretoria e gerente de futebol

CONTRATAÇÕES

Marcelo Oliveira
Marcelo Oliveira

Incrível como quem é remunerado pra ter discernimento nas contratações erra barbaramente, como na busca ao zagueiro Luizão.

Neste espaço, quando cogitavam contratá-lo, 'centas' vezes foi citado que o atleta está aquém das necessidades de uma Ponte com pretensão de acesso, mas 'mataram a vontade' ao contratá-lo.

E como avalia tão mal a contratação do zagueiro Alison vai discutir bola com quem sabe jogar no time pontepretano?

TRANSPIRAÇÃO

Recomenda-se reunião para cobrança do elenco quando percebe-se que o problema é falta de transpiração, apatia, o que não é o caso da Ponte Preta.

Torcedor comum, que não tem obrigação de enxergar o jogo da bola, esbraveja por raça, pra boleiro ralar a bunda na grama, com justificativa de que esse é o símbolo da Ponte.

Se membros de torcida organizadas ganharam espaço pra dar os seus palpites no dia de reuniões, que não tenham ficado no bordão acima.

Problema no time pontepretano é de ajuste técnico-tático, e isso foi citado reiteradas vezes aqui.

MATHEUS PEIXOTO

Por acaso alguém lembrou ao treinador Marcelo Oliveira que o centroavante Matheus Peixoto tem como principal virtudes o cabeceio?

Exclua os tais chuveirinhos para cabeceios, pois a possibilidade é maior de interceptação de zagueiros.

Treinador precisa ter a percepção que o seu antecessor João Brigatti não teve, de que o cabeceador precisa receber bola em cruzamento vindo do fundo de campo, não do prolongamento da grande área.

Para isso, tem-se que trabalhar ultrapassagens ora de laterais, ora de atacantes de beirada.

MOISÉS E BRUNO RODRIGUES

Parceiro Daniel Lessa, da Rádio Brasil Campinas, lembra com propriedade que tanto Moisés como Bruno Rodrigues fazem jogadas pra eles, raramente conectados ao centroavante Matheus Peixoto.

Essa cobrança sim precisa ser feita do treinador para os atletas.

Rodado na bola, esperava-se rápido discernimento de Marcelo Oliveira sobre cenários de jogos e aplicação daquilo que a situação exige.

RETRANCA

Pois isso não ocorreu quando o CRB se retrancou durante todo segundo tempo, sábado passado.

Portanto, se a Ponte tivesse no seu departamento de futebol homem que conhecesse a fundo o riscado, a cobrança direta seria ao treinador em busca dos devidos encaixes.

Aquela 'barulheira' desta terça-feira soou mais como quem quis jogar pra galera.

ARIOVALDO IZAC - -
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos