Didi do Botafogo (SP) ficou devendo; dizem que antes disso mostrou virtudes

Didi do Botafogo (SP) ficou devendo; dizem que antes disso mostrou virtudes

por ARIOVALDO IZAC - - - Campinas

Terças e quintas-feiras são dias da semana que participo do programa esportivo Brasil Esporte Clube, da Rádio Brasil Campinas.

Pois nesta terça, o jornalista-âncora Elias Aredes Júnior me questiona sobre a contratação do zagueiro Didi, pelo Guarani, e aí necessariamente fiz apanhado geral sobre o fracasso do Botafogo de Ribeirão Preto com o atleta em campo, sem que se entenda por isso prejulgamento sobre a capacidade dele.

Didi já completou 29 anos de idade e passou até pelo Palmeiras, além de Osasco, Guaratinguetá, Paulista de Jundiaí e Panapolense.

Dizem que o Departamento de Futebol Profissional do Guarani o monitora há três anos, e teria diagnóstico de virtudes dele para bancar a contratação.

É possível, visto que atleta de porte médio oscila bastante: aprova ali e decepciona acolá.

NESTA TEMPORADA

Quem se dispuser conferir o retrospecto de Didi apenas na presente temporada, muito provavelmente terá dúvidas sobre a validade da contratação.

Não nos esqueçamos que o Botafogo é o penúltimo colocado do Paulistão com oito pontos, e neste contexto venceu a incerta Inter de Limeira por 2 a 1, e o time reserva do São Paulo por 1 a 0, gol de cabeça de Didi.

Considere que a defesa do Botafogo é a mais vazada do Paulistão com 21 gols, superando Oeste com 20 e Ponte Preta 16, que aparecem logo atrás.

TIME ABERTO

Dos dez jogos do Botafogo no Paulistão, exceto diante da Inter Didi esteve em campo. Logo, dividiu com companheiros desajustes pela péssima campanha.

Se argumentarem que ele foi prejudicado pelo equívoco do treinador Wagner Lopes na montagem da equipe, a justificativa é válida.

Demorou pra cartolada botafoguense demitir Wagner Lopes, que habitualmente coloca equipes que dirige no ataque, desconsiderando que o limitado Botafogo teria que obrigatoriamente se resguardar.

Aí, sem o necessário cinturão de marcação que protege a cabeça da área, a zaga ficou exposta, com agravante de o companheiro de Didi ter sido o limitadíssimo Reginaldo, que ano passado atuou na Ponte Preta.

GOLEADAS

Dos 21 gols sofridos pelo Botafogo, 13 foram em três goleadas sofridas.

Tomou 6 a 0 diante do Mirassol jogando em Ribeirão Preto. E na condição de visitante perdeu por 4 a 1 para o Corinthians e 3 a 0 diante do Oeste.

Calma, gente!

Essa foi apenas uma amostragem do Didi neste ano, o que não significa que não tenha muito mais a mostrar.

Oxalá quem avaliou o Didi de outras temporadas tenha visto coisas produtivas que possam ser recolocadas em campo nesta nova empreitada no Guarani.

ARIOVALDO IZAC - -
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos