Alô Tiãozinho: por que proteger o executivo de futebol Gustavo Bueno?

Alô Tiãozinho: por que proteger o executivo de futebol Gustavo Bueno?

por ARIOVALDO IZAC - - - Campinas

Espiada no portal da casa (FI) em busca de escassas informações do futebol de Campinas, eis que foi reproduzido trecho de entrevista do executivo de futebol da Ponte Preta, Gustavo Bueno, na tentativa de justificar o injustificável.

Pior é saber que quem se propõe à transformação da instituição em empresa age como grupinho de velhos e intocáveis amigos.

Assim você, pontepretano, engole um executivo de futebol contra a sua vontade.

Empresas que cobram rendimento de suas chefias são intolerantes ao fracasso, quaisquer que sejam as justificativas.

No caso específico o presidente do clube Sebastião Arcanjo, o Tiãozinho (foto), se constrange rifar o amigo, e pouco se importa se essa postura serve para desgastá-lo ainda mais com torcedores.

'NÃO DEU LIGA'

Se Tiãozinho repetir o argumento tosco de Gustavo Bueno, de que 'o time não deu liga, que alguns jogadores sentiram o peso da camisa, e por isso não responderam aquilo que se esperava', dirão que ele é um estranho da bola.

A rigor, Tiãozinho nem tem obrigação de ser conhecedor de futebol, mas de cobrar do executivo sim.

E pela falta de afinidade com bola rolando deu murro em ponto de faca com a manutenção do treinador Gilson Kleina para início desta temporada, após fracassada campanha na Série B do Campeonato Brasileiro do ano passado.

Tiãozinho quis se fazer de entendido no ramo. Por isso aceitou argumentos de Kleina, ano passado, de que pegou o barco andando, e que a montagem do novo elenco seria feita a dedo.

Desavisado, de certo Tiãozinho soube apenas depois que foi Kleina quem montou o fracassado time do Criciúma, rebaixado da Série B ano passado.

COLEGIADO

Equivocadamente Tiãozinho se colocou num colegiado para estruturar o futebol da Ponte Preta nesta temporada, e não se sabe se deu palpites equivocados em contratações.

E mesmo que tenha se atrevido entrar em roda sem o domínio da linguagem, não justifica, por suposta lealdade, 'dividir a bucha' com Gustavo Bueno.

Assim procedendo, dá uma banana ao torcedor que, com razão, culpa diretamente Gustavo Bueno pelo desastroso futebol, que colocou o clube à beira do rebaixamento do Paulistão.

Provavelmente Tiãozinho seja esperançoso pela salvação através da batida do gongo, se medida casuística for adotada para anular a competição.

Imagine se o pontepretano engole justificativa de Gustavo Bueno, do tipo que esperava resposta de contratados pelos aspectos técnicos e físicos, e que foi surpreendido pelo emocional?

Claro está que faltou discernimento em avaliações, e quem erra em altos investimentos tem que ser demitido.

Portanto, está em tempo de Tiãozinho separar amizade de profissionalismo.

ARIOVALDO IZAC - -
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos