Brasil dá chocolate na Argentina e vai a Tóquio

Brasil dá chocolate na Argentina e vai a Tóquio

por ARIOVALDO IZAC - - - Campinas

Material produzido sobre o ex-ponteiro-esquerdo Tuta, da Ponte Preta de década de 70, pode ser conferido na coluna Cadê Você e no áudio Memórias do Futebol.

Detalhe: à época Tuta duelava com o irmão Zé Maria, lateral-direito do Corinthians.

GUARANI

Excepcionalmente foram produzidas duas postagens no blog neste domingo.

Abaixo o rescaldo da quinta rodada do Paulistão, que coloca o Guarani na liderança do grupo D com oito pontos.

No mesmo texto assumo meu erro crasso de avaliação de que a Inter de Limeira seria candidata ao rebaixamento neste Paulistão.

SELEÇÃO OLÍMPICA

Com postura envolvente e explorando falhas dos argentinos, a seleção olímpica brasileira carimbou passaporte à Olimpíada em Tóquio ao aplicar goleada por 3 a 0 na noite deste domingo, na Colômbia.

Se nos jogos contra colombianos e uruguaios o Brasil encontrou resistência pela forte marcação que impuseram, a situação se modificou diante da Argentina. Como ela se dispôs a jogar em condição de igualmente, mostrou estratégia perigosa de marcação e erros individuais.

Na maioria das vezes a defesa da Argentina marcou em linha e o Brasil soube explorar por ocasião do primeiro gol, através de Paulinho, que arrancou com a bola ao ser lançado e completou a jogada.

PEREZ

Não bastasse o gol ter desestabilizado os argentinos, o zagueiro Perez cometeu erro crasso no recuo de bola de cabeça, com toque fraco, e nisso se aproveitou o atacante brasileiro Matheus Cunha (foto) para ampliar.

Lembrando o estilo do Flamengo em seu campo defensivo, a Argentina ignorou a marcação do lado oposto em que transcorria a jogada, e os brasileiros souberam explorar a bola nos vazios com virada de jogo, de forma que ficassem mais tempo com a bola.

O treinador argentino Fernando Batista desconsiderou que a estratégia precisa ser bem treinada para a execução, e ainda contar que o adversário não tenha vivacidade para explorar os espaços.

BRASIL RECUOU

Com a percepção que não correria risco se propusesse administrar a vantagem, o Brasil recuou no segundo tempo, com opção de colocar em prática os contra-ataques.

Assim, em mais um arremate de Matheus Cunha e outra falha do zagueiro Perez, que deixou a bola passar ao seu lado, saiu o terceiro gol brasileiro.

ARIOVALDO IZAC - -
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos