Copinha já era para o Guarani; Ponte avança daquele jeito

Copinha já era para o Guarani; Ponte avança daquele jeito

por ARIOVALDO IZAC - - - Campinas

Parabéns à Federação Paulista de Futebol que oferece serviço de imagens através da Internet dos jogos da Copa São Paulo de Juniores. Problema é a equipe de transmissão, com radialistas fracos, que sequer descrevem atentamente os jogadores que participam das jogadas.

Que jogo eletrizante no segundo tempo de Guarani e Serra capixaba!

Pois o habilidoso Esquerdinha, que deu tanto trabalho à defesa bugrina, chutou o velho balde no final, ao colocar a bola na 'lua' em cobrança de pênalti, aos 49 minutos do segundo tempo.

Cinco minutos antes, Renan tirou o Guarani do páreo por vaga ao explodir o travessão igualmente em cobrança de pênalti.

Jogo corrido e chances de ambos os lados no empate por 1 a 1 em Jaú.

Quem está a procura de garimpo de promessas desta Copa São Paulo, que veja ou reveja o vídeo deste jogo, pois além de Esquerdinha tem boleiro no time capixaba que merece ser mais bem observado, embora acredite-se que haja controle de empresários.

PONTE SOFRE E AVANÇA

Diferentemente do segundo tempo eletrizante de Guarani e Serra, com chances reais de gols, novamente o time de juniores da Ponte Preta pautou por pobreza técnica no empate por 2 a 2 com o São José gaúcho, na rodada desta quinta-feira.

A Ponte perdia até os 42 minutos do segundo tempo, quando imprudentemente um dos adversários (narrador não falou o nome) cometeu pênalti, convertido por João Veras.

Do contrário a molecada da Ponte já estaria voltando a Campinas.

Coletividade pontepretana ficou sabendo da desconfiguração tática do time de juniores através da coluna que publiquei na noite de segunda-feira, quando a sequência de erros do treinador Sandro Frones foi demonstrada.

Pois o comandante não corrigiu absolutamente nada.

ERROS

Como não se corrige má distribuição da equipe em campo do dia para a noite, como é impossível jogadores melhorarem passes e dominarem outros fundamentos que não foram devidamente treinados, que pelo menos fosse recomendado aos comandados que evitassem recuo excessivo de bola, que defensores não abusassem de 'quebrar a bola' a todo instante, que se trabalhasse mais a bola em vez do imponderável chuveirinho.

E novamente o driblador Marquinhos ficou preso nos lados do campo, quando o prudente seria fazer a diagonal para terminar as jogadas.

Nada disso ocorreu. Assim, a Ponte foi a cópia daquela derrota para o Londrina, e correu sério risco de ser eliminada.

MUDANÇA

Que o alto escalão do clube esteja consciente da necessidade de mudança de comando na categoria, independentemente de que possa ocorrer na próxima partida diante do Santos.

Do contrários, dos poucos jogadores aproveitáveis na equipe, o risco é que sejam promovidos ao elenco principal com vícios não corrigíveis.

ARIOVALDO IZAC - -
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos