Proposta plural da coluna sugere mais comentários de leitores

Proposta plural da coluna sugere mais comentários de leitores

por ARIOVALDO IZAC - - - Campinas

Embora tenho pautado por opiniões incisivas, evidentemente que não sou dono da verdade e pelo formato de pluralidade da coluna, são bem-vindos os contrapontos que nos remetem à reflexão.

Como é natural complementação de algo colocado, nisso há contribuição significante dos parceiros internautas.

Cabe, então, agradecimento principalmente ao parceiro João da Teixeira, que além dos enfoques dos temais centrais ainda deriva e mira-se em outros assuntos relevantes do dia.

Participações ativas são registras dos parceiros Tio Lei, Mabília, Tony, Amorim, Rodrigo U., Paulo Sergio, Ruz, Profeta da Tribo, Barba, Herald, Tito e Carlos Agostinis.

Eventualmente dão o ar da graça Willian, José Ricardo, Marcião, Marcelo, Luiz Otto, Fábio Sanches, Rubão Ricotinha, Serginho, Rui Thoni, Vanderlei, Márcio Rossi e Pedro Henrique. Outros, mais distantes, ficam sem citações.

RECORDE EM DERBI

Claro que jamais o recorde de 96 comentários em um só dia, após um dérbi de anos atrás, provavelmente será batido.

Contudo é prazeroso o registro de que antigos parceiros voltaram a colocar a coluna como leitura obrigatória diariamente.

Após meu retorno ao portal, em pouco mais de dois meses, a coluna já bateu a média diária de mil visualizações, com tendência de que retomemos ao antigo patamar, bem acima.

Conclama-se, portanto, que leitores se transformem em opinadores, com volta à classificada roda. Assim, um assunto ganha contorno de múltiplas visões.

PROVOCAÇÃO

Por natureza, a produção da coluna é provativa no bom sentido.

O pós-jogo tem visão dos adversários dos clubes de Campinas na mesma proporção dos locais, diferentemente de que se vê por aí, com convergências basicamente para as camisas de Guarani e Ponte Preta.

Aqui, a linhagem avessa ao bairrismo característico de cidades do interior implica em não puxar a brasa para a sardinha de pontepretanos e bugrinos.

Essa isenção implica em cem por cento de encaixe no bordão já personalizado neste espaço: 'é, é; não é, não é'.

Reconheço que a tecnologia defasada do portal por vezes desestimula a tentativa de postar mensagens no espaço de comentários, mas sugiro que haja insistência.

Cobranças são reiteradas para que o mal seja reparado. E a resposta tem sido a mesma: paciência.

ARIOVALDO IZAC - -
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos