Ao bancar o visado Kleina, Arcanjo tem que torcer por reviravolta

Ao bancar o visado Kleina, Arcanjo tem que torcer por reviravolta

por ARIOVALDO IZAC - - - Campinas

O fato de o treinador Gilson Kleina, da Ponte Preta, demonstrar humildade para reconhecer o fracasso neste temporada não deveria implicar em nova chance para dar prosseguimento ao trabalho no clube.

Se em outras passagens, ao realizar campanhas aceitáveis procurou outros ares para realização profissional, deveria ter adotado o mesmo procedimento agora que realizou essa campanha pífia, em que ele é o principal responsável sim.

Claro que até pode se recuperar durante o próximo Paulistão, mas como está visado pela torcida, o nível de intolerância vai se aproximar de zero caso volte a fracassar.

Sebastião Arcanjo, que recentemente assumiu a presidência da Ponte Preta, tem que torcer bastante pelo sucesso do treinador, pois qualquer coisa como remediável vai deixar o torcedor muito bravo, e certamente ele também será cobrado. Afinal, fechou os olhos para um trabalho em que o treinador não vence há dez jogos.

ERROS & ERROS

Onde você procurar erros em Kleina nesta última chegada ao clube vai encontrar.

Se o time tinha confiança pra valorizar a saída de bola com o antecessor Jorginho, com Kleina o que se viu foi 'bola voadora'. Basicamente ligações diretas da defesa, possibilitando que o adversáro retomasse a posse e se organizasse.

Sucessivas mudanças na equipe provocaram instabilidade nos jogadores, de forma que o rendimento da maioria das vezes tivesse queda.

Na lateral-direita ora jogou Diego Renan, ora Arnaldo, ora Edílson.

Na esquerda, após saída de Abner, jogaram Diego Renan, Trevisan, Guilherme Guedes e até Arnaldo, imrprovisado.

Entre os volantes foi um entra e sai incontrolável de Lucas Mineiro, Camilo, Edson e Washington.

E por aí se estende igualmente no ataque.

Assim, jamais houve padrão de jogo. E mesmo nas vitórias ou empates o time não convenceu, exceto no primeiro tempo diante do Cuiabá, em Campinas.

Kleina fala que com a nova chance a produtividade de seu grupo não vai igual a essa, e na prática isso pode acontecer, até porque já foi reconhecido na própria Ponte Preta.

Resta saber que vai saber remontar o elenco, visto que no Criciúma entregaram-lhe a chave do clube pra contratar jogadores, o investimento no futebol foi de R$ 1 milhão/mês, e o reflexo foi o rebaixamento à Série C do Campeonato Brasileiro.

AUXILIAR FRACO

Não bastasse a citada repetição de erros de Kleina, ficou claro que o seu auxiliar técnico Juninho é fraco.

Além de respostas desconexas durante entrevistas quando substituiu no gramado o suspenso Kleina, mostrou falta de discernimento de bola rolando na partida diante do Sport, em Recife.

Por sinal, treinadores não deveria escolher auxiliares pela confiabilidade, laço de amizade ou confidente.

O profissionalismo cobra competência, e isso Kleina vai precisar rever mais cedo ou mais tarde sobre o seu auxiliar.

ARIOVALDO IZAC - -
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos