Guarani desperdiça chance de endurecer para o Coritiba

Guarani desperdiça chance de endurecer para o Coritiba

por ARIOVALDO IZAC - - - Campinas

A derrota do Guarani para o Coritiba por 1 a 0 seria considerada normal se o adversário ainda estivesse com aquele explendor competitivo até por volta da 15ª rodada deste Campeonato Brasileiro da Série B.

Com o Coritiba em frangalhos fisicamente, seria possível ao Guarani até cogitar coisa melhor na noite desta terça-feira, na capital paranaense, mas além de um elenco mal montado, desfalcado de Igor Henrique por algumas semanas, neste jogo ficou sem Lucas Crispim, que cumpriu suspensão. Assim a equipe ficou sem transição organizada ao ataque.

No primeiro tempo, por exemplo, os atacantes Davó e Michel Douglas não foram abastecidos adequadamente. E quando a bola chegava, estavam bem marcados e sem a devida aproximação dos meias.

A rigor, Artur Rezende atuou boa parte da partida como segundo volante, na tentativa de organizar saída de bola da defesa, porém sem fluxo.

Parecia que o trunfo do Guarani para a bola chegar ao ataque seria com incursões do lateral-esquerdo Tallyson, mas por carecer de aproximação de companheiros para jogadas combinadas pelo setor, alçava bola à área adversária, devolvida pelos zagueiros coritibanos.

PRESSÃO NO FINAL

Assim, exceto uma cobrança de falta de Artur Rezende - que exigiu elasticidade do goleiro Alex Muralha - apenas nos minutos finais da partida o Guarani exerceu pressão e provocou encolhimento total do adversário, principalmente após a saída do volante coritibano Juan Alano, condutor de bola familiarizado a levá-la ao ataque.

Naquela altura o Coritiba já não tinha pernas e, tivesse o Guarani um pouco mais de competência, poderia ter penetrado na área adversária, em vez de rodar a bola e alçá-la na maioria das vezes.

RODRIGÃO

Este foi mais um jogo em que o treinador Jorginho, do Coritiba, mostrou como deve agir um comandante de equipe desprovido do odioso corporativismo.

Precaríssima condição física do atacante Rodrigão foi devidamente flagrada por quem ainda tinha dúvidas, quando ele entrou no segundo tempo.

E mesmo assim Rodrigão quase comprometeu o zagueiro bugrino Luiz Gustavo, quando ganhou jogada aparentemente perdida, serviu seu companheiro Luiz Henrique, travado na finalização pelo zagueiro Giareta.

Jorginho sequer escalou o meia Giovanni, claramente fora de forma e acusado de baladeiro. Ganhou sim com a mobilidade de Thiago Lopes, o substituto.

Apesar dos problemas extracampo, com interferência direta no rendimento dos jogadores, o Coritiba tomou iniciativa nos primeiros 21 minutos, quando explorou falha do goleiro Kléver na bola aérea, com Robson antecipando e testando para o gol.

Depois disso, o time de Jorginho se preocupou mais em administrar a vantagem, usando o experiente de contra-atacar.

Isso mostra que se o treinador recuperar fisicamente a sua equipe, vai entrar no páreo, sim, por vaga de acesso.

Como o Guarani faz campanha de manutenção, nada de alarde pela derrota. Siga em frente.

ARIOVALDO IZAC - -
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos