​Kleina é visado entre pontepretanos e duramente criticado em Criciúma

Restrição em relação ao trabalho do treinador Gilson Kleina, pela derrapante campanha nesta Série B

por ARIOVALDO IZAC - - - Campinas

Independentemente de suposta reação da Ponte Preta a partir do jogo da tarde deste sábado contra o Bragantino, em Campinas, na coletividade pontepretana aumenta a restrição em relação ao trabalho do treinador Gilson Kleina (foto), pela derrapante campanha nesta Série B do Campeonato Brasileiro.

Já em Criciúma a mídia o critica asperamente como um dos principais responsáveis pela montagem do contestadíssimo time catarinense, a beira do abismo com a derrota em casa para o CRB por 1 a 0, na noite desta sexta-feira.

Como o Criciúma patina nos 29 pontos e sua coletividade sabe que a Série C é logo ali, a revolta daqueles 6.257 esperançosos torcedores resultou em confronto com policiais militares, quando tentavam impedir que objetos fossem atirados ao gramado, ao final da partida.

CRIANÇAS ATINGIDAS

Segundo relato da reportagem da Rádio Eldorado de Criciúma, policiais usaram até bala de borracha para dispersar manifestantes. Antes disso, foi registrado que duas crianças acabaram atingidas por gás de pimenta.

Como de praxe em emissoras de rádio interioranas, o narrador da Rádio Eldorado de Criciúma calculou um 'ré menor' e não usou mais de quatro segundos para citação do gol do CRB. Na mesma emissora foi divulgado que a folha de pagamento com futebol do Criciúma atinge R$ 1 milhão mensais.

GUARANI AGRADECE

Melhor para o Guarani, que vê um concorrente direto à degola derrapar, e ficou esperando por empate entre Vitória e Londrina, resultado que não se confirmou nesta sexta-feira. O Londrina surpreendeu o adversário ao vencê-lo por 1 a 0, subindo para 35 pontos, enquanto o Vitória permanece com 33.

Outros jogos neste sábado interessam ao Guarani. Figueirense e São Bento, com 28 e 27 pontos respectivamente, jogam na condição de visitantes contra Paraná e Operário. Logo, o bugrino espera que sejam derrotados.

Para que haja compensação do tropeço em Cuiabá, o Guarani torce para que os mandantes Oeste (35 pontos) e Vila Nova (30) não vençam América e Coritiba.

ARIOVALDO IZAC - -
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos