Credite essa vitória do Guarani na conta do treinador Carpini

Mérito principal de Carpini foi ter puxado o meia-atacante Lucas Crispim do lado esquerdo para o direito e fazer outras mudanças

por ARIOVALDO IZAC - - - Campinas

Um dia o filósofo de botequim disse que jogo é jogado e lambari é pescado. Quando atribuíram favoritismo do Sport sobre o Guarani desconsideraram que o time pernambucano sequer mereceu vencer o Paraná de virada, semana passada, nos minutos finais, pois praticou um futebol previsível e sem criatividade.

Nesta vitória do Guarani sobre o Sport por 1 a 0, gol do atacante Diego Cardoso aos 49 minutos do segundo tempo, crédito total ao treinador Thiago Carpini, que sabiamente anulou o principal jogador adversário: atacante Guilherme. E, de quebra, acreditou que reabilitaria o atacante Diego Cardoso e foi bem sucedido.

Mérito principal de Carpini foi ter puxado o meia-atacante Lucas Crispim do lado esquerdo para o direito, para coadjuvar o lateral Lenon, e duplicar a marcação sobre Guilherme. Assim, transformou o atacante adversário em 'peso morto', incapaz de fazer uma jogada sequer.

Pronto. Com cinquenta por cento do poderio ofensivo do Sport aniquilado, bastaria a defensiva bugrina não falhar para não ser vazada.

Apesar disso falhou duas vezes. Se o volante Charles, do Sport, não é cabeceador, jamais poderia acertar testada na bola que exigiu reflexo do goleiro Jefferson Paulino para tocá-la, e contar com a sorte dela ainda ter se resvalado na trave.

Depois, em cochilo do miolo de zaga, Yuri, cara a cara, conseguiu chutar a bola pra fora.

PREVALECIMENTO DO GUARANI

Afora isso, prevalecimento do Guarani que mais uma vez se superou neste Campeonato Brasileiro da Série B, na noite desta quinta-feira.

Tudo dentro de suas limitações: aplicadíssimo na marcação, cuidado na troca de passes para evitar erros, e acelerar ofensivamente em contra-ataques ou com percepção de buracos a serem explorados.

Embora o Guarani quase nada criou durante primeiro tempo, o chute do meia Artur Rezende com bola na trave, em cobrança de falta, redobrou a confiança da boleirada de que o time poderia acreditar nos três pontos.

Poderia porque o Sport era excessivamente lento na transição ao ataque, e possibilitava recomposição defensiva dos bugrinos.

DIEGO CARDOSO

Assim, com controle ofensivo da partida - principalmente após a entrada de Diego Cardoso no lugar de Rondinelly - o Guarani já poderia ter marcado em conclusão de Nando, mas o goleiro Luan Polli e lateral Sander evitaram.

Como o volume ofensivo persistiu nos acréscimo, em arremate do lateral Lenon a bola foi mal rebatida pela defesa do Sport, sobrando para o atacante Diego Cardoso fazer a pequena torcida bugrina explodir de alegria no Estádio Brinco de Ouro, como a espantar o risco de rebaixamento que ainda não foi superado. Todavia, passo considerável já foi dado.

ARIOVALDO IZAC - -
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos