Torcida do Guarani foi um capítulo à parte na capital paranaense

Apesar da longa distância e comportamento irregular da equipe, fanáticos aplaudiram

por ARIOVALDO IZAC - - - Campinas

Evidente que na vitória por 2 a 0 sobre o Coritiba houve evolução no futebol praticado pela equipe do Guarani, comparativamente às atuações anteriores.

Todavia, não nos esqueçamos que o time paranaense faz de conta que treina e está muito mal preparado, não servindo, portanto, de parâmetro.

Embora tecnicamente o Figueirense - adversário desta terça-feira - seja formado por jogadores limitados, pelo menos correm mais. Assim, a tendência é que o nível de exigência aos bugrinos seja maior. Aí sim cabe avaliação mais precisa.

BUGRINO APAIXONADO

Cabe registro do quão o bugrino é apaixonado por seu clube.

Áudio do SporTV captou o alarido provocado por torcedores bugrinos no transcorrer da partida de sábado no Estádio Couto Pereira, dando a impressão de que o time fosse mandante.

Na prática, sequer se previa aparição de torcedor bugrino no local, que fosse encarar longa viagem, considerando-se ‘patinação’ nos jogos anteriores e sem perspectiva de reviravolta neste Campeonato Brasileiro da Série B.

Pra surpresa geral, pelo menos uma centena de bugrinos lá estava e com a habitual energia.

GRITO DE GUERRA

O velho grito de guerra de ‘bugrão oooô ecoou em todo estádio, transportando indispensável energia aos jogadores.

Torcida do Guarani incorpora pra valer trecho do hino que Oswaldo Guilherme compôs ao clube, que recomenda ‘na vitória ou na derrota, hoje e sempre Guarani’.

ARIOVALDO IZAC - -
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos