Ideal seria vinda de treinador rodado, mas que Loss possa dar certo no Guarani

Treinador só pode ser avaliado após montagem do novo elenco

por ARIOVALDO IZAC - - - Campinas

Pra habilmente colocar um melzinho na boca do torcedor bugrino, Osmar Loss - apresentado como novo treinador do Guarani - fez questão de lembrar do título brasileiro de 1978.

Loss chegou, e aí?

Certamente o presidente Palmeron Mendes Filho o contratou por ‘ouvir dizer’, até porque ele é mais articulado em questões administrativas e condução geral das coisas do clube.

Nessa circunstância, pesa bastante o aconselhamento do gerente de futebol Fernando Fumagalli. É comum palpites de empresários ligados ao futebol e até aqueles ligados à futura cogestão no clube.

Acerto ou erro sobre a contratação de Loss vamos conferir após o início do processo de reformulação do elenco.

CORINTHIANS

Portanto, não cabem críticas precipitadas com base na frustrante passagem pelo Corinthians, quando assumiu o elenco já desmantelado, foi cobrado e pressionado.

No Bragantino também pegou o ‘bonde andando’, e igualmente não convenceu.

Confesso que não tenho posição firmada sobre o trabalho de Loss, exatamente por não vê-lo participar ativamente da montagem de elencos.

Todavia, o recomendável - para que não pairasse dúvidas - seria o Guarani definir pela vinda de um treinador rodado, com folha de serviço pra mostrar, mas aí são os dirigentes que avaliam custo benefício, disponibilidade financeira, etc, etc.

Loss, novo na função, é uma aposta. Nem por isso cabe julgamento precipitado.

Aguardemos!

ARIOVALDO IZAC - -
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos