Guarani tem que admitir má atuação na derrota em Sorocaba

Time sustentou empate até os 48 minutos do segundo tempo

por ARIOVALDO IZAC - - - Campinas

Sem reeditar partidas anteriores, o Guarani sequer mereceu trazer empate diante do São Bento na noite desta sexta-feira, em Sorocaba. De qualquer forma, ainda suportava a pressão do adversário até os 48 minutos do segundo tempo. Foi quando o zagueiro Luizão, livre de marcação, explorou cobrança de falta do zagueiro Anderson Sales, testou, e marcou o gol da vitória do São Bento por 1 a 0.

Considerando-se que o São Bento não colocou em prática nada além de voluntariedade, claro está que se o Guarani mantivesse regularidade poderia voltar de Sorocaba com ponto(s).

Se jogadores como Ricardinho, Fabrício Carioca, Fabrício Bigode justificaram a confiança depositada por mais de mil torcedores bugrinos que estiveram no Estádio Valter Ribeiro, atletas como Kevin, Rafael Longuine e Matheus Oliveira tiveram rendimento abaixo das reais possibilidades.

Além disso, inconsistência do lateral Pará e meia-atacante Jefferson Nem pesaram. Pior quando o bugrino constatou a insegurança transmita pelo zagueiro Ferreira e observou o atacante Bruno Xavier - que substituiu Bruno Mendes - como ‘peça’ decorativa em campo.

Com essa desuniformidade do conjunto, caberia ao torcedor bugrino torcer para que o árbitro gaúcho Rodrigo Carvalhães de Miranda encerrasse a partida no tempo regulamentar, visto que o empate então sustentado já representava lucro.

FELIPE RODRIGUES

Foi quando desnecessariamente o zagueiro Felipe Rodrigues - já ‘amarelado’ - acertou cotovelada no atacante Francis, do São Bento, e acabou expulso.

Assim, quem ‘brigava’ por vaga no G4 deste Campeonato Brasileiro da Série B, como o Guarani, patinou.

Paradoxalmente, apesar da irregularidade na partida, caprichosamente o Guarani teve a chance de abrir vantagem aos 46 minutos do segundo tempo, quando Ricardinho ganhou bola na raça e iniciou a construção da jogada em que Matheus Oliveira ficaria na cara do gol.

Foi quando o zagueiro adversário Ewerton Páscoa cometeu falta quase na entrada da área, acabou expulso, e a cobrança não foi aproveitada.

A rigor, foi essa a única chance real do Guarani, em estatística que não condiz com quem precisa de pontuação no pelotão de cima.

CHANCES DO SÃO BENTO

Sim, apesar da disposição ofensiva desde o início da partida, o São Bento havia ameaçado em cobrança de escanteio com efeito na bola do meia-atacante Roni, defendida pelo goleiro Agenor, e outras duas vezes com o zagueiro Ewerton Páscoa.

No primeiro tempo, no desdobramento de cobrança de escanteio, Páscoa cabeceou a Agenor defendeu no reflexo. No segundo tempo, bola testada pelo zagueiro atingiu a trave.

ARIOVALDO IZAC - -
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos