Torcida do Guarani vai dividir arquibancada com adeptos do São Bento, em Sorocaba

Mais de mil bugrinos acompanham a equipe no Estádio Walter Ribeiro

por ARIOVALDO IZAC - - - Campinas

Quando uma torcida abraça seu clube em jogo como visitante, numa competição equilibrada como esta Série B do Campeonato Brasileiro, aumentam as possibilidades de colheita de bons frutos.

Pois a torcida do Guarani pode até ser maioria na noite desta sexta-feira no Estádio Walter Ribeiro, em Sorocaba, no confronto contra o São Bento.

Os 1.250 ingressos colocados à disposição do Guarani certamente serão esgotados, e aquele calor da arquibancada pode dar aquela vitalidade que todo time precisa enquanto visitante.

TADEU DATOVO

Nos meus tempos de repórter de rádio, uma viva lembrança que guardo do Estádio Walter Ribeiro - das incontáveis vezes que lá estive - foi nos anos 80, quando presenciei uma briga singular após jogo entre São Bento e Guarani.

Na saída, Robel Tadeu Datovo, que presidia a Torcida Organizada Guerreira da Tribo, foi cercado por torcedores adversários, que tentaram agredi-lo.

Pois cada torcedor do Azulão que partia no braço para derrubá-lo era interceptado e recebia revide que o colocava no chão.

Foi assim com pelo menos cinco torcedores do São Bento, até que os demais, amedrontados, correram, e Tadeu pôde, por fim, contar com resguardo de policiais militares.

G4

A coletividade bugrina encara com razão esse jogo como divisor de águas, pois uma vitória pode credenciar de vez a equipe na disputadíssima vaga entre integrantes do G4.

Evidente que o bugrino vai ficar de olho no jogo em que o Avaí recepciona o Boa Esporte, em Florianópolis, pois um tropeço dos catarinenses pode abrir espaço para o Guarani entrar no G4.

FERREIRA

Forçosamente o treinador do Guarani, Umberto Louzer, mexe num setor que vinha correspondendo: o miolo de zaga.

Tudo por causa daquele carrinho perigoso e desnecessário do central Phillipe Maia, que resultou em cartão amarelo no empate por 1 a 1 com o Vila Nova. Carrinho no meio de campo.

Como Maia está suspenso, Louzer escala Ferreira para formar dupla com Fabrício Carioca.

A quantas anda Ferreira?

Foi visto pela última vez com a camisa bugrina no dérbi do Estádio Moisés Lucarelli, e jogando mal.

Devido à inatividade à época, estava totalmente fora de forma. Todavia, impossível não ter readquirido ritmo de jogo de lá pra cá.

ARIOVALDO IZAC - -
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos