Caneco da Copa tem endereço da França ou Bélgica

Franceses garantem vaga à semifinal após vitória sobre o Uruguai

por ARIOVALDO IZAC - - - Campinas

Façam as suas apostas: França ou Bélgica na final da Copa do Mundo da Rússia?

Ambas dispões de jogadores habilidosos e observam diversificados esquemas táticos.

Mostraram personalidade quando pressionados nas vitórias sobre Uruguai e Brasil, respectivamente, e qualquer resultado no confronto entre ambos, pela semifinal, estará dentro dos prognósticos.

O que parece lógico é que o vencedor deste jogo, na próxima terça-feira, pode encomendar as faixas. Não parece lógico que Rússia, Suécia, Croácia e Inglaterra tenham bola para encarar quer França, quer Bélgica, na final.

URUGUAI CAI

O Uruguai levou ao gramado no confronto contra a França, nesta sexta-feira, proposta de inicialmente se defender e explorar os contra-ataques.

Como os franceses tiveram o domínio da partida durante o primeiro tempo, criaram mais situações de perigoso. Todavia, chegaram ao gol em lance de bola parada, numa cabeçada do zagueiro Raphael Varane aos 40 minutos. Posteriormente consolidaram a vitória de 2 a 0.

Em desvantagem após o intervalo, era natural que o Uruguai fosse se atirar ao ataque.

Problema é que sem o atacante Cavani, vetado, seu parceiro Suarez foi absorvido pela forte marcação.

O time uruguaio conta com eficiente dupla de zaga formada por Giménez e Godín e das jogadas de Cavani e Soares. No mais, apenas voluntariedade dos jogadores, em conformidade com a tradicional escolha celeste.

Assim, pela falta de qualidade para penetração e criação de jogadas fatais, os uruguaios insistiram em chuveirinhos, quase todos rechaçados.

Como a proposta da França passou a ser de não correr risco e administrar a vantagem, já não se via aquela volúpia ofensiva do primeiro tempo.

Apesar disso, num frangaço do goleiro uruguaio Fernando Muslera, a França consolidou a vitória aos 16 minutos do segundo tempo, em chute de Griezmann.

MBAPPÉ MASCARADO

Quando da substituição do astro Kylian Mbappé, desnecessariamente o treinador francês Didier Deschamps deu muitas explicações.

Na prática Mbappé está precisando de um bom puxão de orelha pra cortar a ‘máscara’.

Pelo visto está aprendendo com Neymar como provocar um teatrinho em lances normais.

Pois o francês também fez simulação de ter recebido falta violenta e, no desdobramento da confusão, também recebeu cartão amarelo.

Por sinal, Deschamps não enxergou o óbvio no segundo tempo: tirar Mbappé do lado direito - em que estava bem marcado pelo lateral-esquerdo Laxalt - e deslocá-lo à esquerda, pra aproveitar o buraco deixado pelo lateral-direito Cáceres, que apoiava ao ataque seguidamente.

ARIOVALDO IZAC - -
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos