Se a Rússia deu trabalho pra Croácia, sinal que aumentam as chances da Inglaterra

Time russo arranca empate na prorrogação, mas perde nos pênaltis

por ARIOVALDO IZAC - - - Campinas

Pra que tanto sacrifício, conseguir arrastar a partida contra a Croácia até a definição através dos pênaltis, e colocar tudo a perder, dona Rússia?

Após empate por 2 a 2 no tempo normal e prorrogação, a Rússia jogou dois dos cinco pênaltis cobrados na lata do lixo, enquanto a Croácia perdeu apenas um.

Foi um jogo dramático, porém de pobreza técnica impressionante para o nível exigido de Copa do Mundo.

Agora, Croácia e Inglaterra se digladiam na quarta-feira, pela fase semifinal, em que o vencedor garante o direito de disputar o título da competição.

Incontestável a vitória da Inglaterra sobre a Suécia, no primeiro jogo deste sábado, por 2 a 0, com dois gols de cabeça.

Os ingleses se valem da aplicação tática para se impor em campo.

Talento, mesmo, apenas o meia Sterling, que inteligentemente foi posicionado como centroavante para receber bolas alongadas.

TREINADOR INGLÊS

A rigor, impressionante como Gareth Southgate, treinador da Inglaterra, impõe os seus conceitos sobre os obedientes comandados.

Observem que só dribla no time dele quem sabe driblar, exatamente para que o atleta não incorra em risco desnecessário de perda de bola.

Jogador do time dele pensa o jogo antes de receber o passe, para que o time tenha dinâmica ofensiva. Isso difere da boleirada por aqui, que só avalia a continuidade do lance quando a bola chega nos pés.

Com estratégia bem determinada, o treinador inglês consegue elevar um time mediano a outro patamar, com ampla possibilidade de chegar à final da Copa do Mundo.

Que isso sirva de aprendizado a clubes médios do futebol brasileiro.

Das principais escolas europeias, depreende-se que pode ser descartado o chamado volante brucutu. Basta o atleta se condicionar para o desarme, na maioria das vezes sem o artifício da falta.

É impressionante como se cobra valorização de saída de bola através de meio-campistas.

Precisamos nos acostumar a esses conceitos.

ARIOVALDO IZAC - -
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos