Para Brigatti, time que ganha não se mexe; saudoso Mário Sérgio contrariava a lógica

Contra o São Bento, Ponte Preta busca terceira vitória seguida

por ARIOVALDO IZAC - - - Campinas

Mais um sábado pra se ficar de olhos arregalados e ardendo por causa de bola.

Primeiro, às 11h, a TV Globo vai mostrar se a Bélgica já está recuperada ou não do duro golpe sofrido diante dos franceses. Isso será conferido na disputa do terceiro lugar da Copa do Mundo da Rússia, contra a pragmática Inglaterra.

Depois tem Ponte Preta em campo, a partir das 18h, na cidade de Sorocaba, diante do instável São Bento, através da TV fechada.

Por convicção ou corporativismo, o treinador interino João Brigatti opta pela manutenção da equipe que ganhou as duas últimas partidas.

Seja de uma forma ou de outra, de certo Brigatti se respalda na filosofia da treinadorzada de que não se mexe em time que ganha.

Respeita-se, claro, a posição dele, mas o contraponto do saudoso Mário Sérgio Ponte de Paiva, enquanto treinador, de que circunstancialmente cabe mexida sim, merece reflexão.

Mário Sérgio avaliava postura do adversário e melhor encaixe de sua equipe para determinada circunstância.

Nesta linha de raciocínio, não seria desuniformidade a troca de uma peça para este jogo diante do São Bento.

NETO COSTA

Já que Neto Costa mostrou ser a mais adequada de todas as fórmulas testadas como centroavante, o recomendável seria fixá-lo.

Calma. O voluntarioso Júnior Santos não perderia lugar no time.

Prudentemente poderia ser deslocado como atacante de beirada pelo lado esquerdo, pra explorar a sua velocidade, sem perda defensiva. Ele já mostrou obediência à reposição, e não estranharia fazer ‘dobra’ com o improvisado lateral-esquerdo Ruam, na marcação.

Sobraria, evidente, para Danilo Barcelos, que ofensivamente quase nada tem acrescentado.

Claro que é suposição. De repente Barcelos nos desmente até com gol, e aí Brigatti não desperdiçaria a oportunidade pra nos mandar uma indireta, como é de seu feitio.

Caso o lateral-esquerdo Orinho não fosse suspenso, seria prudente que reassumisse a titularidade, passando Ruam à lateral-direita, no lugar do inconstante Igor.

Seja como for, o pontepretano espera que esse limitado time continue se superando e conquiste mais três pontos.

ARIOVALDO IZAC - -
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos