Se a Ponte se adapta a gramados adversários, não deve estranhar o Serra Dourada

Vila Nova defende 100% nos quatro jogos disputados

por ARIOVALDO IZAC - - - Campinas

Novas técnicas da medicina veterinária salvam cães tetraplégicos. Esse é o assunto do Informacão.

Apesar das evidências, segmentos da mídia ainda insistem em relevar fatores campo e torcida como favoráveis a mandantes.

De certo você ouviu por aí que o Vila Nova tem lá as suas vantagens no jogo contra a Ponte Preta pela programação do jogo no Estádio Serra Dourada, em Goiânia, na tarde deste domingo.

Tem razão aqueles que ficam indignados com o citado argumento.

A réplica é lógica: cerca de 18 mil bugrinos tentaram empurrar o Guarani, mas o barulho se transformou em silêncio. No gramado geralmente prevalece quem joga mais bola. E a Ponte ganhou o dérbi com torcida única.

Se o Flamengo projetou apequenar a Ponte Preta com público de aproximadamente 50 mil pessoas, deu com os burros n’água.

Esses dois exemplos rechaçam o obsoleto discurso de fatores campo e torcida como favorecimento ao mandante.

DIMENSÕES REDUZIDAS

Outrora adversários de clubes goianos ensaiavam discurso de dimensão desproporcional do Estádio Serra Dourada, como suposta justificativa para tropeço.

Todavia, desde 2016 a CBF exigiu padronização das dimensões dos gramados para clubes que disputam as suas competições, e a partir de então aquela desculpa não cola.

Se antes a metragem do Serra Dourada era de 110m de comprimento por 75m de largura, hoje obedece rigorosamente o tamanho exigido: 105m x 68m.

Com grama esmeralda e drenagem irretocável, o fator campo só interfere pra quem não sabe jogar.

A drenagem é composta por dez mil furos para que a água possa escoar rapidamente em colcha de brita e areia. Logo, nem a chuva atrapalha.

REPETIR RENDIMENTO

Diante desse cenário, o que se cobra da Ponte Preta é repetição do rendimento mostrado nas três últimas partidas, mesmo enfrentando o líder do Campeonato Brasileiro da Série B.

Quando argumentarem que o Vila Nova conquistou cem por cento dos pontos disputados, sugira que sejam avaliados os adversários.

Três dos quatro jogos foram no Serra Dourada, visto que um deles foi contra o rival Goiás, na vitória por 3 a 1, mesmo placar registrado no mesmo local contra o Sampaio Correa, com público de 5.894 torcedores.

A outra vitória em casa foi sobre o Avaí, por 1 a 0, enquanto fora foi obtida vitória por 1 a 0 contra o CRB, clube não credenciado entre aqueles que postulam o acesso.

Logo, tudo é possível à Ponte Preta.

ARIOVALDO IZAC - -
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos