Título é bom, mas Guarani não pode se descuidar de reforços

Time precisa de pelo menos mais cinco jogadores para o Brasileiro da Série B

por ARIOVALDO IZAC - - - Campinas

No embalo do acesso ao Paulistão 2019, o torcedor bugrino promete lotar novamente o Estádio Brinco de Ouro, na expectativa de comemoração de título diante do Oeste, na noite deste sábado, que dará direito a vaga à Copa do Brasil do próximo ano.

A Federação Paulista de Futebol oferece prêmio de R$ 280 mil ao campeão do Campeonato Paulista da Série A2. Em última análise, o vice-campeonato já representa R$ 180 mil. Independe da posição, cada clube vai receber 40 medalhas, conforme cita o regulamento da entidade.

Apesar disso, pressupõe-se que os dirigentes bugrinos não dormiram em berço esplêndido visando o Campeonato Brasileiro da Série B, que se avizinha.

Considere que o Guarani atravessou a maior parte desta A2 sem que o treinador Umberto Louzer fosse obrigado a mexer sistematicamente na equipe. E mesmo em alterações eventuais, ficou claro deficiências entre os reservas.

BANCO FRACO

Quando o lateral-esquerdo Marcílio ficou de fora, viu-se claramente que Salomão comprometeu ao assumir a vaga. Portanto, um claro indício que o setor carece de reforço.

O próprio miolo de zaga foi oscilante, o que indica a necessidade de outra composição. E fica a dúvida se a vinda de Edson Silva, que jogou no Mirassol, é a mais adequada.

Mais dois meias e um atacante de beirada de campo são outras prioridades.

Além disso, é preciso uma peneirada para se avaliar eventuais desligamentos de titulares, o que implicaria na reposição.

ARIOVALDO IZAC - -
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos