Que vergonha, Mogi Mirim: WO; que despencada hein Guarani: 8ª colocação

Time bugrino perde posição com tropeço para o Brasil de Pelotas

por ARIOVALDO IZAC - Campinas

Ainda cabe rescaldo sobre a participação do Guarani no Campeonato Brasileiro da Série B, com queda para a oitava colocação após a realização da primeira rodada do segundo turno, mas permitam-me lamentar o ‘estado de coisas’ no Mogi Mirim, integrante da Série C, que no maior estilo varzeano deu WO no jogo que faria contra o Ypiranga, na condição de mandante.

Se na várzea abnegados correm de porta em porta para colocar onze jogadores em campo, no Mogi Mirim os cartolas ignoraram a ameaça da boleirada de boicotar o jogo por causa de atraso de salários, que, segundo informam, já teria chegado a sete meses.

Alô cartolada do Mogi: outrora famintos repetiam a exaustão um dito de mil, novecentos e bolinha, que ‘meio-dia, macaco assobia (assovia); panela no fogo, barriga vazia’. Ou então, ‘saco vazio não para em pé’.

Quando se abusa de atraso, não há outra alternativa pra boleirada se não pressionar.

Uma pena! Quem já viu aquele Mogi pujante dos tempos do saudoso presidente Wilson de Barros custa a acreditar que o clube corre risco de fechar as portas.

OITAVO LUGAR

Quanto ao Guarani, foi dando sopa para o azar e da liderança - rodadas atrás - despencou para a oitava colocação no complemento da 20ª rodada, após derrota para o Brasil de Pelotas por 1 a 0.

Agora é o tal de copo meio cheio, meio vazio. Se olhar pra cima vai constatar o Ceará fechando o G4 com 34 pontos, seis a mais de que ele, Guarani.

Se inclinar os olhos pra baixo, vai observar que a distância para o Z4 diminuiu para cinco pontos, considerando que o Luverdense vem reagindo e dá sinais de que vai escapar da degola.

Consola a comissão técnica bugrina que só há agendamento de jogo no próximo sábado, tempo suficiente para recuperação de lesionados, que certamente darão a necessária oxigenada na equipe diante do irregular Santa Cruz.

ARIOVALDO IZAC
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos