Guarani se irrita com pesquisa de torcida e pede boicote a patrocinador da Ponte Preta

Indignada com resultado do levantamento encomendado pela Brasil Kirin, o clube exibiu um protesto contra a Schin no telão do Brinco

Indignada com resultado do levantamento encomendado pela Brasil Kirin, o clube exibiu um protesto contra a Schin no telão do Brinco

Por: Agência Futebol Interior, 29/08/2016

0002050190999 img

Campinas, SP, 29 (AFI) – Na noite deste domingo, o Guarani venceu a Portuguesa por 1 a 0 e garantiu a classificação virtual para as quartas de final da Série C do Brasileiro, mas um fator extracampo chamou mais atenção do que o jogo. No telão do Brinco de Ouro, foi exibida uma mensagem que dizia para os torcedores não consumirem produtos da Schin, marca que patrocina a rival Ponte Preta.

‘Não beba Schin, consuma produto de qualidade’ foi o texto exibido no telão e reproduzido pelo sistema de som do estádio. O motivo foi uma pesquisa de torcidas encomendada pela Brasil Kirin, empresa de bebidas dona da Schin. O resultado apontou a torcida da Ponte como a segunda maior de Campinas, com 20% dos torcedores locais, atrás apenas do Corinthians, que tem 22%. O Bugre, por sua vez, apareceu com 3%, dado que irritou os bugrinos.

Sob o pedido da Brasil Kirin, a pesquisa foi realizada pelo Instituto PróPesquisa, que fez 800 entrevistas distribuídas entre todas as regiões de Campinas. Em nota de repúdio publicada no seu site oficial, o Guarani diz que a amostra utilizada foi muito baixa e que o resultado não representa a realidade.

“…O clube entende que o levantamento foi realizado de forma equivocada e que a empresa agiu de má fé para com os torcedores do Guarani. O número de entrevistados não condiz com a realidade de uma cidade do tamanho de Campinas. 800 pessoas não podem, de forma alguma, retratar um panorama absoluto em uma cidade com aproximadamente1 milhão e 500 mil habitantes”, diz a publicação.

ENVERGONHADOS?
Em entrevista ao Portal Futebol Interior, o pesquisador responsável pelo levantamento, Rodrigo de Souza Queiroz, afirmou que o número de bugrinos deve ser maior do que o apresentado pela pesquisa. Ele acredita que o atual momento do clube seria uma razão para os torcedores não se manifestarem.

Guarani pede que torcedores boicotem patrocinador da Ponte Preta. (Foto: Reprodução)

Guarani pede que torcedores boicotem patrocinador da Ponte Preta. (Foto: Reprodução)

“Você não pode falar que uma pesquisa com uma amostra de 800 não é representativa. Na última pesquisa eleitoral que fizemos agora utilizamos 600 casos. É óbvio que não existem apenas 3% de bugrinos. O que acontece é que nós fizemos uma pesquisa e 3% deles responderam que torcem para o time. Acredito que o atual momento do Guarani faz com que alguns torcedores optem por não falar ou falar que torcem para Corinthians ou São Paulo, já que é muito normal torcedores do interior terem dois times”, disse o pesquisador.

A declaração, que já havia sido dada a outros veículos, irritou ainda mais a diretoria do clube campineiro, que utilizou a nota de repúdio para responder o pesquisador.

“Além de expor dados não condizentes com a realidade, o pesquisador Rodrigo Queiroz Souza deu declarações que denegriram a imagem da instituição. Jamais qualquer torcedor do Guarani terá vergonha de demonstrar seu carinho por um clube de tradição centenária, além de ser o único campeão brasileiro do interior”.

JÁ SABIA
A pesquisa foi encomendada pela Brasil Kirin com o objetivo de conhecer a relação entre a cidade de Campinas e o futebol, de maneira a analisar os efeitos do investimento aplicado na Ponte Preta. Queiróz reconhece que a polêmica já era prevista pelos realizadores, mas afirma que o as consequências podem ser positivas para o Guarani.

“O pessoal sabia que ia dar essa polêmica. Mas isso é apenas uma fotografia do momento. Além disso, tem um efeito positivo para o Guarani, já que o número baixo mexeu com o brio dos torcedores. Isso serve para animar a torcida, para que eles reafirmem o orgulho de torcer para o Guarani e façam questão de mostrar isso”, afirmou.

No ranking do levantamento, com seus 3%, o Guarani tem apenas a sexta maior torcida. Após Corinthians e Ponte, aparecem São Paulo (10%), Palmeiras (8%) e Santos (4%). A ordem dos ‘grandes’ é a mesma que aparece nas pesquisas realizadas para medir a força das torcidas do Estado de São Paulo.

CONFIRA A NOTA DE REPÚDIO PUBLICADA PELO GUARANI:

O Guarani FC vem, por meio desta nota, expressar seu total descontentamento e repúdio à pesquisa encomendada pela Brasil Kirin e realizada pelo Instituto Própesquisa. O clube entende que o levantamento foi realizado de forma equivocada e que a empresa agiu de má fé para com os torcedores do Guarani.

O número de entrevistados não condiz com a realidade de uma cidade do tamanho de Campinas. 800 pessoas não podem, de forma alguma, retratar um panorama absoluto em uma cidade com aproximadamente 1 milhão e 500 mil habitantes.

Além de expor dados não condizentes com a realidade, o pesquisador Rodrigo Queiroz Souza deu declarações que denegriram a imagem da instituição. Jamais qualquer torcedor do Guarani terá vergonha de demonstrar seu carinho por um clube de tradição centenária, além de ser o único campeão brasileiro do interior.

A massa Bugrina é única e prova diariamente seu amor pelo clube. O resultado disso é uma média de público que está entre as maiores do país, o que ficou claro na partida do último domingo (28), contra a Associação Portuguesa de Desportos, na qual uma só torcida levou mais de 7 mil pessoas ao estádio. O Guarani, reticente com a pesquisa, enaltece o poder de sua torcida e não apoia o consumo dos produtos produzidos pela instituição que direcionou a pesquisa.