Paraíba masculina! Diretoria do Treze quer prisão de dirigentes da CBF

O advogado do clube afirma que a entidade desobedeceu uma ordem judicial

por Agência Futebol Interior

João Pessoa, PB, 28 (AFI) - Depois de não ter sido incluído na Série C do Campeonato Brasileiro, que teve o início divulgado nesta quinta-feira pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), a diretoria do Treze parece não fugir da briga. De acordo com o advogado do clube, George Ramalho Júnior, o time de Campina Grande irá entrar com uma ação pedindo a prisão de dirigentes da CBF.

Segundo o advogado, uma petição será enviada à juíza da 1ª Vara Cível de Campina Grande, Ritaura Rodrigues, para que os dirigentes da entidade máxima do futebol nacional sejam punidos por desobediência. A juíza foi a mesma que deu parecer a favor da liminar que incluía o Galo na competição.

Para George Ramalho Júnior, a decisão de começar a competição sem o Treze foi um desrespeito a uma decisão judicial através de uma manobra jurídica. Ramalho ainda alertou que "poderá sobrar até para o presidente José Maria Marin ou para o diretor jurídico Carlos Eugênio Lopes".

A respeito da multa de R$2,48 milhões depositados em juízo pela CBF, o advogado afirmou que irá brigar para que o dinheiro seja imediatamente disponibilizado a favor do clube paraibano, para cobrir os prejuízos que a paralisação causou ao clube.