Apoio que é bom... FPF deve dobrar taxa para mudança de sede para os clubes

O valor cobrado pela cúpula de Marco Polo Del Nero é de R$ 600 mil, mas deve passar a R$ 1,2 milhão

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 27 (AFI) – Em vez de trabalhar no desenvolvimento, sobretudo dos clubes do Interior, a Federação Paulista de Futebol parece mais preocupada em encher seus cofres. Segundo informações da Folha de S. Paulo, a entidade estuda aumentar a taxa de transferências de cidades para os clubes em 2011.

Atualmente, o valor cobrado pela cúpula de Marco Polo Del Nero é de R$ 600 mil, mas deve passar a R$ 1,2 milhão na próxima temporada. A tentativa é de coibir que mais clubes tentem trocar de sede pelos próximos anos.

Nas temporadas passadas, a multa sofreu um reajuste de 1000%. Primeiramente, a taxa cobrada pela transferência era de R$ 60 mil, mas sofreu um aumento para R$ 100 mil e depois para R$ 300 mil até chegar o valor atual.

Embora a tentativa de coibir um festival de transferências de sedes seja válida, o essencial não é trabalhado pela FPF. A entidade pouco tem se preocupado em auxiliar os famigerados clubes do interior paulista.

No Paulistão, por exemplo, pode-se notar que ainda há um abismo no tratamento entre os chamados grandes e os demais clubes. Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo receberam 7,5 milhões cada para disputar o Estadual. Todos os outros levaram 1,4 milhão cada.

Se for comparado com os clubes das séries A2 e A3, a diferença é ainda mais exorbitante. Os clubes da Série A2, incluindo o Guarani, embolsaram apenas R$ 80 mil para os quatro meses de competição. Na A3, cada equipe ganhou irrisórios R$ 60 mil.