Onde Anda: Rondón, venezuelano que vestiu a camisa do São Paulo

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 19 (AFI) - Centroavante de qualidade técnica discutível, Alexander Rondón Heredia, ou simplesmente Rondón, não deixou saudades pelos poucos meses em que defendeu o São Paulo Futebol Clube. Conhecido como melhor jogador do futebol venezuelano na época, o atacante tem 31 anos (completará 32 no próximo dia 30 de agosto) e defende atualmente o Deportivo Anzoátegui.

Confira:
Onde Anda: Afonso Alves, ex-atacante da Seleção Brasileira

Em sua carreira, Rondón vestiu sete camisas: Atlético Zulia, Caracas, Nacional de Tachirá, Estudiantes de Mérida, Deportivo Táchira, São Paulo e, agora, Anzoátegui. Em nenhuma delas, com exceção do Deportivo Táchira, ele se destacou.

Em 2004, Rondón fez uma boa Libertadores da América e chamou a atenção da diretoria do São Paulo, que o contratou para substituir Luís Fabiano, vendido ao Porto. No Morumbi, Rondón pouco brilhou. Jogou apenas oito partidas e sequer marcou gols ou esteve perto de fazê-los.

Dispensado meses depois, Rondón tentou a sorte novamente no Táchira, clube em que defendeu por três anos e marcou 33 gols. Este é o principal feito da carreira do atacante, que vestiu a camisa da Seleção Venezuelana em 43 oportunidades, marcando apenas dois gols.

Feitos!
Em seu atual clube, Rondón ostenta a marca de segundo maior artilheiro da história, com 31 gols. O goleador máximo é Zamir Valoyes, que fez 45. Outra curiosidade: em sua carreira, fez apenas dois hat-tricks (três gols em uma mesma partida).

Em 2008, Rondón foi o goleador máximo do futebol venezuelano, com 27 gols, sendo dois de pênalti. Anos depois, percebe-se que o centroavante foi mais uma das diversas apostas estrangeiras que não deram certo no Brasil. Na lista, estão ainda o camaronês William Andem (Cruzeiro e Bahia), os equatorianos De La Cruz (Cruzeiro) e Carabalí (São Paulo), o peruano Palacios (Cruzeiro), o chileno Sierra (São Paulo)...

 
 
" />