Ex-Flu revela medo de corte e diz ser mais difícil enfrentar caxumba do que Argentina

O Portal Futebol Interior acompanhou in loco o clássico vencido pela seleção brasileira por 2 a 0

por Agência Futebol Interior

Belo Horizonte, MG, 04 (AFI) - De volta à seleção brasileira após ficar de fora das quartas de final diante do Paraguai, ao ser diagnosticado com caxumba, o atacante Richarlison parou para falar com a imprensa após a vitória por 2 a 0 diante da Argentina, na última terça-feira, em Belo Horizonte. O jogador revelou o medo de ser cortado bem na fase final da Copa América.

"Tive um pouco medo sim (de ser cotado). Sempre quando perguntei, me falaram que o tratamento contra a caxumba levava 15 dias . Esse tempo poderia me tirar da Copa América. Mas minha força de vontade foi maior, e acabei me recuperando. Estou de volta, feliz, vibrei com o grupo todo. Estamos na final e esperamos ser campeões no Maracanã", afirmou o atacante, em entrevista ao Portal Futebol Interior.


Richarlison falou sobre o medo de ser cortado - Rodrigo Vilalba/Futebol Interior
Richarlison falou sobre o medo de ser cortado

ARGENTINA OU CAXUMBA?

O jogador foi questionado também sobre a dificuldade em encarar a seleção da Argentina. Na visão de Richarlison, o drama maior foi combater a caxumba. Claro que o medo de ser cortado e a classificação garantida do Brasil na final da Copa América influenciaram na tiração de sarro por parte do atleta.

Após iniciar o torneio como titular, Richarlison perdeu espaço com a boa fase de Gabriel Jesus. A doença também levou o atacante a ficar no banco de reservas diante da Argentina. A expectativa é que novamente fique como opção frente ao Peru.

Brasil e Peru se enfrentam na grande decisão, no próximo domingo, às 17h, no Maracanã. Na primeira fase, triunfo brasileiro por 5 a 0.