Após cinco formações diferentes, Brasil deve ter time sem novidades na final

O Placar ao Vivo do Portal Futebol Interior acompanhou todos os jogos in loco

por Agência Estado

São Paulo, SP, 05 - A caminhada da seleção brasileira na Copa América mostrou o técnico Tite com uma forma diferente de trabalhar, sem se prender à proposta de sempre manter o time. Nas cinco partidas realizadas pela equipe até agora, foram cinco formações diferentes. Somente agora, para a decisão do torneio, no próximo domingo, o treinador deve repetir uma das combinações de titulares anteriormente utilizada.

Ao longo do torneio, principalmente problemas com lesões impediram Tite de conseguir repetir a equipe nas partidas. Titulares como Arthur e Filipe Luís tiveram contusões, assim como Casemiro teve de cumprir suspensão. No entanto, o treinador também promoveu mudanças por escolhas táticas e técnicas, como as realizadas na fase de grupos, com as saídas de David Neres e Richarlison para as entradas de Éverton e Gabriel Jesus.

MEXIDAS
As cinco escalações diferentes em cinco partidas mostram um Tite mais ousado. Após a eliminação na Copa do Mundo da Rússia, o treinador admitiu ter aprendido que em um torneio curto não se pode demorar para mexer no time. Na Rússia, o Brasil não teve mudanças de um jogo para outro por decisões táticas, mas somente por lesões (como foi o caso de Danilo, substituído por Fágner) ou de suspensões (com Casemiro fora e Fernandinho entrando na vaga).

Tite deve manter a escalação do Brasil - Rodrigo Vilalba/Futebol Interior
Tite deve manter a escalação do Brasil
Para a final contra o Peru, no Maracanã, no domingo, o Brasil só tem uma dúvida no time e se trata do lateral Filipe Luís, em recuperação de lesão na coxa direita. Se ele retornar, a escalação deve ser idêntica à usada na partida contra o próprio Peru, pela fase de grupos. Caso contrário, a equipe seguirá com Alex Sandro e terá a mesma formação mandada a campo diante da Argentina, pela semifinal.

Na opinião do atacante Éverton, a quantidade de trocas mostra a capacidade do elenco da seleção brasileira. "Nós sempre procuramos dar nosso melhor, dentro das nossas características. Nós temos mostrado a força da nossa seleção e do nosso grupo. Todos aqui da seleção brasileira têm condição de jogar", comentou o jogador do Grêmio.