Copa América: 'Temos sorte de estarmos vivos', diz técnico argentino

Scaloni ainda vê chances de Argentina se classificar para o mata-mata da competição continental

por Agência Estado

Belo Horizonte, MG, 20 - Depois de comandar a Argentina no confronto no qual a sua seleção empatou por 1 a 1 com o Paraguai, na noite desta quarta-feira, em Belo Horizonte, e se manteve viva na luta pela classificação às quartas de final da Copa América, o técnico Lionel Scaloni reconheceu que o seu time também contou com a sorte para seguir na luta para avançar na competição continental.

Para assegurar o 1 a 1 com um gol de Lionel Messi, a Argentina contou com uma marcação de pênalti que só foi assinalado após o juiz brasileiro Wilton Sampaio recorrer à arbitragem de vídeo (VAR). Depois disso, o goleiro Armani ainda defendeu um pênalti cobrado por Derlis González para garantir a manutenção da igualdade no placar.

Scaloni ainda acredita na vaga da Argentina na segunda fase da Copa América. (Foto: Divulgação/Argentina)
Scaloni ainda acredita na vaga da Argentina na segunda fase da Copa América. (Foto: Divulgação/Argentina)
Na lanterna do Grupo B da Copa América, a Argentina precisará vencer o Catar no próximo domingo, às 16 horas, na Arena do Grêmio, para ir às quartas de final.

"Temos de ganhar e faremos um balanço do que fizemos bem e do que não fizemos bem. E tomaremos decisões. Temos a sorte de ainda estarmos vivos e isso nos fará jogar com esperança no próximo jogo", afirmou Scaloni, em entrevista coletiva no Mineirão.

O comandante também exaltou o papel decisivo do goleiro argentino nesta quarta-feira. "Confiamos em Franco (Armani), é o nosso goleiro titular. Agarrou um pênalti e nos fez seguir vivos, ele fez o seu trabalho. Comemoro que ele tenha tido uma boa atuação", reforçou o treinador de apenas 41 anos.

Já ao analisar o jogo desta quarta-feira como um todo, ele lamentou o fato de que faltou mais "paciência" para a Argentina encontrar espaços na zaga paraguaia e, com isso, o seu time acabou não conseguindo vencer o duelo.

"O nosso primeiro tempo não foi bom, nós nos desesperamos (após levar o gol), e não conseguimos ter o controle do jogo, não tivemos profundidade, isso gera incerteza. No segundo tempo nós chegamos muito mais ao ataque e conseguimos o empate", opinou.