Bolívia afirma que Brasil se fortalece sem Neymar: 'Mais compacto na marcação'

Já Lampe considera que sem Neymar o Brasil se torna uma equipe mais imprevisível

por Agência Estado

São Paulo, SP, 13 - A seleção da Bolívia demonstrou imenso respeito pelo Brasil antes do encontro desta sexta-feira, na abertura da Copa América, no estádio do Morumbi, em São Paulo. Em entrevista coletiva, tanto o técnico da equipe, Eduardo Villegas, como o goleiro e capitão Carlos Lampe comentaram que a equipe da casa também se beneficia em alguns aspectos por não poder contar com o atacante Neymar, cortado por lesão no tornozelo direito.

Na opinião dos bolivianos, se o talento do atacante vai fazer falta, pelo menos o Brasil se torna mais coletivo e forte na defesa por não contar com o camisa 10.

"Defensivamente ele é um jogador que não volta a marcar com frequência. Para mim eu até fico mais preocupado porque o Brasil se torna um adversário mais compacto e organizado no setor defensivo", disse o treinador.

LAMPE
Lampe concorda com o técnico. O jogador de 32 anos e mais velho do elenco boliviano considera que sem Neymar o Brasil se torna uma equipe mais imprevisível quando tenta chegar ao ataque.

Eduardo Villegas falou sobre Neymar
Eduardo Villegas falou sobre Neymar

"O Brasil tem um grande elenco. Poderia montar até três seleções fortes. Mas sem Neymar o Brasil toca mais a bola, envolve mais o adversário. Não sabemos mais por qual lado vai tentar chegar ao nosso gol", comentou.

BOLÍVIA
Os adversários da seleção estão no Brasil há uma semana e comentaram ter recebido muito carinho dos compatriotas. A grande colônia de bolivianos existente em São Paulo tem procurado o elenco no hotel e na porta do CT do São Paulo, onde o time fez parte da preparação.

Alguns jogadores titulares tiveram passagem por clubes brasileiros, como os casos do volante Chumacero e do atacante Marcelo Moreno.

Villegas afirmou que para a Bolívia pontuar na estreia será preciso fazer um jogo perfeito. "O Brasil tem muita qualidade, mas nenhum time é invencível. Sabemos de algumas falhas e setores por onde podemos tentar neutralizar o futebol da equipe. Mas como os jogadores deles são experientes, levam muita vantagem nesse tipo de partida", comentou o treinador boliviano.