Após estreia 'traumática', Bolívia aponta favoritismo do Peru

Eduardo Villegas disse que sua seleção projeta um futebol melhor do que aquele exibido na última sexta-feira

por Agência Estado

São Paulo, SP, 17 - Depois de uma estreia classificada como "traumática" diante do Brasil no Morumbi, a seleção boliviana jogará no Maracanã sonhando em manter viva sua chance de classificação às quartas de final da Copa América. Nesta terça, a equipe enfrenta o Peru - que empatou sem gols na estreia com a Venezuela - em busca de seus primeiros pontos.

O técnico Eduardo Villegas disse que sua seleção projeta um futebol melhor do que aquele exibido na última sexta-feira, quando a Bolívia não impôs nenhuma dificuldade ao Brasil, que venceu por 3 a 0.

"A estreia certamente foi traumática, mas temos os elementos, os jogadores e a expectativa de melhorar nosso futebol na partida contra a seleção peruana", afirmou Villegas nesta segunda-feira.

SEM RETRANCA
Ele prometeu que sua equipe não irá jogar na retranca.

"Nós vamos procurar o jogo. Não posso adiantar se haverá variações (de jogo), o que vamos variar são as intenções", comentou o técnico.

Apesar disso, Villegas considera a seleção peruana em um melhor momento do que a sua.

"O Peru está poucos passos acima (da Bolívia ). Esteve no Mundial, o que lhe dá um nível superior na hierarquia.

Tem jogadores importantes, um goleiro sólido, laterais que se projetam muito e um meio-campo que trabalha com transições rápidas", avaliou.

"Mas nós, através dos espaços que eles podem nos deixar no meio do campo, podemos propor futebol."

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

DÁ PRA VENCER
O zagueiro Marvin Bejarano também considera que a Bolívia pode vencer nesta terça.

"O Peru não tem a pressão sufocante do Brasil, por isso temos a ideia de ganhar para pensar sobre classificação. Vamos encontrar mais espaços do que os que encontramos na estreia", considerou o defensor.

Para Bejarano, um dos principais cuidados da equipe tem que ser com o ataque peruano, sobretudo Paolo Guerrero. "Nós sabemos o que isso significa enfrentá-lo. Ele é forte e se movimenta muito bem na área. Não podemos deixá-lo girar, mas não dá para marcá-lo de muito perto", disse.