Copa América: 'O Brasil tem a obrigação, nós temos o sonho', diz técnico da Venezuela

Os venezuelanos só ganharam uma vez do Brasil em 24 confrontos em toda a história e admitem o quanto a partida deve ser difícil

por Agência Estado

Campinas, SP, 17 - A Venezuela sonha com uma zebra gigantesca para não sair derrotada do campo da Arena Fonte Nova nesta terça-feira, dia do jogo contra a seleção brasileira pela Copa América. O técnico da equipe, Rafael Dudamel, disse nesta segunda que enfrentar a equipe da casa e a grande favorita ao título é a oportunidade de conseguir fazer história e de se jogar sem a responsabilidade.

Os venezuelanos só ganharam uma vez do Brasil em 24 confrontos em toda a história e admitem o quanto a partida deve ser difícil. "Está muito clara a dificuldade do jogo. Mas é algo que vai nos engrandecer como equipe. O Brasil tem a obrigação, nós temos o sonho. Se quisermos ganhar, teremos de ser perfeitos", comentou Dudamel. Como goleiro, ele defendeu a Venezuela em cinco edições de Copa América.

'O Brasil tem a obrigação, nós temos o sonho', diz técnico da Venezuela
'O Brasil tem a obrigação, nós temos o sonho', diz técnico da Venezuela
Dudamel contou ter uma admiração longa pela seleção brasileira. Ainda como garoto, ele torcia pelo Brasil durante competições como Copas do Mundo e agora se encontra em uma posição inesperada, como candidato a algoz do time que tanto admirou. "A melhor forma de respeitar o Brasil é tentarmos nos superar dentro de campo. Para isso, é preciso estar compacto e não cometer erros", disse.

ESTREIA AMARGA
A Venezuela estreou na Copa América com um empate sem gols com o Peru, em Porto Alegre, e sonha em repetir alguns sucessos recentes. O país foi semifinalista em 2011, ao ser eliminado nos pênaltis pelo Paraguai na semifinal, e em 2016, na Copa América Centenário, ganhou do Uruguai na fase de grupos e depois perdeu nas quartas de final para a Argentina.

Para o treinador, a experiência adquirida na competição será útil para desenvolver o futebol do país nos próximos anos. "A Copa América é uma prévia muito importante das Eliminatórias. Temos um elenco jovem, e é muito importante seguirmos crescendo e aprendendo em jogos como este, contra o Brasil", comentou.