AMISTOSO FEMININO: Brasil faz 6 a 0 no Equador em jogo preparatório

O jogo marcou a estreia do novo uniforme da Seleção, feito exclusivamente para o time feminino

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 27 (AFI) - Sextou com 's' de Seleção Brasileira Feminina ou se preferir com 's' de 6 a 0. Depois de oito meses sem compromissos internacionais por conta da pandemia de Covid-19, o Brasil voltou a campo, na noite desta sexta-feira (27), e na Neo Química Arena goleou o Equador por 6 a 0, em jogo preparatório visando os Jogos Olímpicos de Tóquio, adiados para 2021.

Na próxima terça-feira (1), as duas seleções voltam a se enfrentar no Estádio Morumbi, às 21h30, também com transmissão exclusiva do SporTV. O duelo encerra o calendário da Seleção Brasileira no ano de 2020.

VEJA OS MELHORES MOMENTOS

DEBINHA CHAMA A RESPONSA
Antes da bola rolar, as jogadoras respeitaram um minuto de silêncio em homenagem ao ídolo do futebol mundial, Maradona, e às vítimas da Covid-19. Depois do apito, o Brasil tomou conta do jogo. A primeira boa chance veio com a artilheira Debinha, que aproveitou a sobra após cobrança de escanteio, mas parou na goleira Morán, aos 13.

Na sequência, Andressa Alves também assustou para a Canarinho. Já aos 20, o embate entre Debinha e arqueira equatoriana voltou a acontecer e de novo Morán fez grande defesa.

Mas a camisa 9 da Seleção teve mais uma chance, aos 33. E se a primeira e segunda tentativa não encontraram as redes. Na terceira, a atacante encheu o pé em mais uma sobra de escanteio e por pouco não abriu um buraco na meta adversária: 1 a 0.

Cinco minutos depois, Bruna Benites de cabeça quase marcou o segundo do Brasil. Enquanto, aos 44, Andressa Alves fez o levantamento na área e novamente Debinha chegou com perigo.

VIROU GOLEADA
Na volta do intervalo, a Canarinho manteve o controle do jogo, mas com dificuldades para furar o bloqueio equatoriano optou pelos chutes de fora da área com Andressa Alves e Adriana.

Na marca dos 17, após jogada bem trabalhada pela direita, Valéria cruzou rasteiro, a bola passou na frente da meta e ninguém chegou para completar. Em lance parecido, aos 24, Duda fez o cruzamento e Debinha por centímetro não marcou o segundo dela na partida. No minuto seguinte, Andressinha experimentou o arremate de média distância, que passou rente à meta adversária.

MAIS GOLS
Na reta final do segundo tempo, o Brasil voltou a ter o espaços e aproveitou. Aos 32, em jogada no melhor estilo brazuca, Formiga tocou para Nycole, que escorou para Debinha fazer 2 a 0. E não parou por aí.

Um minuto depois, em mais uma boa troca de passes, Nycole deixou para Duda, a camisa 18 colocou a bola na área e Valéria mandou para o fundo do gol. Sem tirar o pé do acelerador, a Seleção chegou ao quarto com Rafaelle depois de cruzamento de Andressinha, aos 37.

Não perca as contas, porque tem mais. Aos 39, Debinha de pênalti fez mais um. E, já aos 42, Duda bateu colocado da entrada da área para fechar a conta na Neo Química Arena: 6 a 0.