Paulista A2: Atacante relembra passado no São Paulo e celebra fase no Votuporanguense

Pedro Bertoluzo, de 23 anos, fez parte da 'Geração de Ouro' nas equipes de base do São Paulo

por Federação Paulista (FPF)

São Paulo, SP, 02 (AFI) - “Nove anos que esse clube chegou pra fazer meu sonho se tornar realidade, que o menino lá do interior foi sozinho para cidade grande viver o que nem ele sabia ao certo. Aqui, cresci, amadureci, sofri e vivi o futebol”. Esse foi o post de despedida do atacante Pedro Bortoluzo em sua saída do São Paulo. Formado em Cotia, o jogador fez parte da "Geração de Ouro" da base tricolor, em passagem de quase uma década, e busca a continuidade na carreira com as cores do Votuporanguense.

Nascido na cidade de Fernandópolis, no interior paulista, o centroavante relembrou algumas dificuldades que todos os jovens jogadores passam quando se mudam para uma metrópole como a capital paulistana.

Atacante relembra passado no São Paulo e celebra fase no Votuporanguense
Atacante relembra passado no São Paulo e celebra fase no Votuporanguense

“A adversidade nós sempre passamos, porque é uma cidade diferente, com outras pessoas que você irá conhecer, refazendo todo um círculo de amizades. Quando fui para São Paulo, estava muito focado no que queria para mim, por isso eu acredito que ‘tirei de letra’ esse período de adaptação. Sem dúvidas, se pudesse voltar atrás, faria tudo de novo, principalmente pela importância que isso teve na minha formação como atleta e pessoa”, disse.

Pedro fez parte de uma geração dourada formada no CT de Cotia, utilizado pelas equipes de base do São Paulo, conquistando diversos títulos importantes, como a Copa do Brasil e a Libertadores Sub-20, atuando ao lado de jogadores que hoje brilham nos gramados europeus, como os atacantes Luiz Araújo e David Neres, sob o comando de André Jardine, atual técnico da Seleção Olímpica.

“Eu acredito que fui um cara muito sortudo por participar de uma geração dourada na base do São Paulo. Joguei em diversos grupos vencedores, fazendo parte primeiramente de uma safra que tinha o Boschilia, Lucão e Ewandro. Logo depois participei do grupo que ganhou praticamente tudo no Sub-20, com Luiz Araújo e David Neres. Foi um orgulho ter conquistado títulos com eles, e esse período ficará para sempre marcado na minha memória”, exaltou.

24 de julho de 2016; a data jamais será esquecida pelo atleta de 23 anos, pois nesse dia estreou profissionalmente com a camisa tricolor. O momento especial não foi estragado nem pela derrota para o Grêmio, por 1 a 0, em jogo válido pelo Brasileirão.

“Tive diversos momentos marcantes com a camisa do São Paulo, até porque fiquei lá por nove anos. Entre todos, o mais marcante, ainda mais para um jovem jogador, foi ter estreado no profissional. Quando tive a oportunidade, posso dizer que foi o êxtase da minha alegria como atleta”, relembrou alegremente.

MOMENTO ATUAL
Emprestado ao Criciúma na última temporada, Bertoluzo viu seu vínculo com o clube do Morumbi ser encerrado e acertou a sua transferência para o Votuporanguense, onde vivia uma ótima fase pessoal antes da pausa por conta do Covid-19, sendo responsável por metade dos dez gols feitos pela equipe no torneio, todos eles nos quatro últimos jogos do Paulistão A2 Sicredi.

"O que prevaleceu para que fizesse os gols nessas rodadas finais da competição foi o trabalho com muita dedicação. Eu estava vindo de uma lesão grave no tornozelo no ano passado, e quando em cheguei no Votuporanguense, vi como uma chance para dar a volta por cima e provar do que eu era capaz para mim mesmo”, destacou.

O bom momento vivido também tem ligação com a chegada do técnico Junior Rocha. Sob seu comando, o time somou seis pontos nos últimos jogos e ganhou força na disputa contra o rebaixamento. “Quando o Junior Rocha chegou, a primeira coisa que ele implantou na nossa equipe foi a organização defensiva e a intensidade, que são fatores que melhoramos bem nas últimas partidas”, ressaltou.

TREINAMENTO CASEIRO
Com o Paulistão A2 Sicredi paralisado, Pedro Bortoluzo mantém a forma física mesmo dentro de casa, esperando por uma eventual retomada do estadual.

“Não podemos parar. Apesar da quarentena, estou treinando diariamente aqui dentro de casa, para que não tenha tanta perda física e poder voltar bem em um possível retorno da competição”, concluiu.

Antes da pausa, o Votuporanguense se encontrava na 16ª colocação do Paulistão A2 Sicredi, com nove pontos. O time alvinegro está apenas um ponto atrás do Red Bull Brasil, primeira equipe fora da zona de rebaixamento.

Natanael Oliveira, especial para FPF