Presidente do Vitória indica 'armação' entre Mancini e Rodrigo em dedada épica

Ponte promete 'reunir a papelada' e vai acionar a Procuradoria do STJD e o Ministério Público

por Agência Futebol Interior

Salvador, BA, 18 (AFI) - Em entrevista à Rádio Itapoan FM, Paulo Carneiro, presidente do Vitória, deu uma revelação surpreendente: o ex-técnico Vagner Mancini teria combinado com o ex-zagueiro Rodrigo, autor de dedada épica, para organização uma 'armação' na fuga contra o rebaixamento.

O ex-beque da Macaca enfiou os dedos nas nádegas de Santiago Tréllez, resultado em expulsão imediata, ainda no primeiro tempo e com vitória campineira parcial por 2 a 0. Com um a mais, time de Salvador venceu de virada por 3 a 2 e selou queda alvinegra à Série B.

"Quando o treinador Vagner Mancini veio ao Vitória só faltou trazer um presidente. O resto ele trouxe: analista de desempenho, assistente que era fisiologista, etc, etc e etc. Ele mandava mais do que o presidente. Eu tenho certeza de que ele mandava mais que o presidente", declarou.

"E hoje está cobrando na Justiça R$ 1,2 milhão e já recebeu R$ 800 (mil). É a rescisão mais cara da história do Vitória: R$ 2 milhões. Ele ganhou R$ 1,3 milhão para combinar com o Rodrigo aquela dedada que salvou o Vitória em 2017. Ele ganhou R$ 1,3 milhão", emendou.

Mesmo após três anos, dedada de Rodrigo volta à tona
Mesmo após três anos, dedada de Rodrigo volta à tona

NÃO É BEM ASSIM?

Horas depois do assunto explodir na imprensa, o mandatário do Leão se pronunciou em áudio divulgado no Whats App e 'esclareceu' a situação. O dirigente baiano alegou 'má intenção do jornalista' e se defendeu com o argumento de 'uma gozação', apesar do tom sério na entrevista.

"Deixa eu esclarecer essa nota absolutamente inverídica com relação à entrevista que eu dei hoje na rádio dizendo que eu teria dito que houve uma armação entre Mancini e o ex-zagueiro Rodrigo. Mas que coisa. Rapaz, isso é de um ridículo, sabe?. Deveria mandar demitir o jornalista. A não ser que tinha sido de má intenção mesmo, né. Quem ouviu a entrevista sabe que eu fiz uma gozação, uma ironia. Como se dá um premio de R$ 1,3 milhão a um treinador e depois o Vitória não caiu por causa da dedada de Rodrigo em Tréllez", disparou.

"Isso todo mundo sabe. É público. O Vitória tomava 2 a 0 da Ponte Preta e estava abatido, vencido e rebaixado. E eu fiz uma ironia entre a dedada de Rodrigo e o valor absurdo que deram a Vagner Mancini. Aí o cara deduziu que era uma armação. É, meu amigo. Tá vendo, Anderson Matos? Eu tenho boa vontade, mas não adianta, meu amigo. Essa notícia é inverídica. É só pegar a gravação e ouvir. Eu fiz uma ironia, certa? Se a pessoa é medianamente inteligente, entende. Se é burra, faz uma matéria dessa", completou o mandatário baiano.

E A PONTE?

Ciente dos áudios divulgados em Salvador, a Ponte Preta promete apuração rigorosa sobre o assunto e já tem em mãos o áudio completo da entrevista de Paulo Carneiro. A Macaca entende que a denúncia é grave e que é preciso uma apuração rigorosa em relação aos fatos.

Para isso, já a partir desta terça-feira, o Departamento Jurídico do time campineiro promete 'reunir a papelada' e vai acionar, nos próximos dias, a Procuradoria do STJD e o Ministério Público.

E O MANCINI?

Ex-treinador do Vitória, Vagner Mancini teve ciência do áudio e garantiu processar Paulo Carneiro por difamação, calúnia, entre outras coisas.

"É uma coisa absurda e sem nexo, cara. Falar isso em uma entrevista é nada ver. Estou movendo ação. Ponte e Rodrigo também entraram em ação contra o Paulo Carneiro. Ele falou uma barbaridade tão grande que é difícil até a pessoa acreditar nisso. E ele terá que provar o que disse", declarou o profissional, em entrevista ao Portal Futebol Interior.