Presidente do Vitória aprova mala branca: "Se fosse eu, receberia"

Os jogadores do clube baiano estão com dois meses de salários atrasados e tem jogo que influencia direto na briga pelo acesso

por Agência Futebol Interior

Salvador, BA, 28 (AFI) – O presidente do Vitória, Paulo Carneiro, causou polêmica em entrevista concedida na última quarta-feira. O dirigente afirmou que seus atletas devem aceitar uma possível ‘mala branca’ para a partida da última rodada da Série B.

Já sem grandes objetivos na competição, após ter se livrado do rebaixamento, o Vitória recebe o Coritiba, no sábado, no Barradão. A partida é importante para o adversário, que está na briga pelo acesso.

“Não respondo pelos jogadores. Eles sabem. Se fosse no lugar deles, recebi. Tomara que deem a eles dois milhões, porque aí a pressão sobre mim vai ser menos na segunda-feira”, declarou o presidente no programa Globo Esporte, da Bahia.

SALÁRIOS ATRASADOS
Vale lembrar que a situação do Vitória é delicada economicamente. Os jogadores não treinaram na quarta-feira em protesto por dois meses de salários atrasados, além do pagamento de algumas premiações que não foram depositados.

Isso aumenta ainda mais a desconfiança de que algum dos clubes diretamente interessados no tropeço do Coritiba poderia oferecer uma ‘mala branca’.

América-MG e Atlético-GO são as duas equipes que disputam com o Coxa as duas vagas restantes do acesso. O América, no entanto, precisaria vencer sua partida de qualquer maneira.

O principal interessado, portanto, é o Atlético. Quinto colocado com dois pontos a menos do que o Coritiba, o time goiano precisa que o Coxa perca para ultrapassá-lo.