Série B: Vila Nova é condenado a pagar R$ 730 mil ao goleiro Elisson

Decisão foi em primeira instância e o clube já está trabalhando para recorrer

por Agência Futebol Interior

Goiânia, GO, 05 (AFI) - O Vila Nova foi condenado em primeira instância a pagar R$ 730 mil ao goleiro Elisson, autor de uma ação trabalhista contra o clube. O jogador defendeu o clube no ano passado e está cobrando valores referentes a salário do mês de outubro, FGTS, indenização por seguro de vida não acionado pelo clube e indenização de estabilidade provisoria.

Ainda cabe recurso ao Vila. Em entrevista ao à Rádio Sagres, a advogada do time, Neliana Fraga, contestou a necessidade de arcar com as questões do seguro levantada pelos representantes do atleta.

“O juiz determinou que o clube pague um período estabilidade, mas o atleta não preencheu os requisitos. Uma outra situação, é o pagamento de um seguro, o que também discordamos totalmente, já que no momento em que estava lesionado, sem jogar, o seguro não foi acionado, e o Vila Nova pegou parte dos seus salários. A gente só aciona o seguro em uma situação de não proteção, e não foi o caso”, afirmou Neliana.

Foto: Divulgação / Vila Nova
Foto: Divulgação / Vila Nova
LESÃO
Durante a passagem pelo clube goiano, Elisson sofreu uma lesão grave na coxa, no dia 10 de junho, em duelo contra o América-MG. De acordo com a lei, o Vila deveria ter mantido o jogador no elenco até a recuperação, uma vez que ele se machucou durante o trabalho. Não foi isso que aconteceu, já que o goleiro foi se tratar no Cruzeiro, clube pelo qual estava emprestado ao Tigre.

“O Vila Nova pagou, tanto é que depois o Elisson retornou e o contrato dele foi cumprido até o fim. E esta situação com o Cruzeiro é bom deixar que foi uma opção do atleta, já que o departamento médico do Vila ofereceu o tratamento”, disse Neliana.

 
 
" />