Presidente do Vasco não consegue investimentos externos graças à queda para Série B

Graças ao rebaixamento a receita vascaína caiu pela metade. Presidente Jorge Salgado refaz o projeto

por Agência Futebol Interior

Rio de Janeiro, RJ, 06 (AFI) - Uma das principais propagandas políticas do Presidente Jorge Salgado, do Vasco, que era um aporte financeiro de investidores, previsto no valor R$ 70 milhões ainda não aconteceu.

Antes da posse, o grupo de Jorge Salgado previa usar a quantia para colocar salários de jogadores e funcionários em dia, além de investir no futebol.

Jorge Salgado não conseguiu o dinheiro de investidores que havia prometido - Jorge Perci / Vasco
Jorge Salgado não conseguiu o dinheiro de investidores que havia prometido - Jorge Perci / Vasco

SÉRIE B BRECOU

Com o rebaixamento do time na rodada passada, o Vasco teve uma queda natural das receitas, ou seja, impedindo os planos e a projeção não se concretizou. A direção trabalha agora em um novo formato para arrecadar investimento externo.

O ACORDO

Antes da eleição no clube, Jorge Salgado falava que já havia coletado R$25 milhões. O acordo com os mais de 50 investidores ainda não tinha sido oficializado e previa carência de um ano.A taxa de remuneração seria de 7,5% ao ano, tendo como garantia receitas do clube.

SEM RECEITA

Mas com a queda do time para a Série B, as receitas, antes previstas na ordem de R$ 200 milhões, caíram drasticamente para aproximadamente R$ 100 milhões. Com isso, as garantias foram comprometidas e o acordo foi desfeito.

AUMENTO DAS DÍVIDAS

Recentemente, o Vasco apresentou seu balanço financeiro de 2020 e registrou uma dívida de R$ 832 milhões. Nesta sexta, o clube apresentou seu Plano de 100 dias e calculou que 46% das metas foram atingidas.