Técnico do Vasco detona arbitragem e cobra posicionamento da CBF sobre o VAR

Luxa confessou que quase não voltou para o segundo tempo, mas ficou com medo do Vasco perder pontos por isso

por Agência Futebol Interior

Rio de Janeiro, RJ, 15 (AFI) - Após a derrota do Vasco por 2 a 0 para o Internacional, neste domingo, pelo Campeonato Brasileiro, o treinador Vanderlei Luxemburgo mostrou sua indignação com a arbitragem e com a CBF sobre a falha do VAR no primeiro gol do Inter, validado após uma falha na tecnologia, o que, segundo o treinador, quase fez o cruzmaltino não voltar para o segundo tempo.

POLÊMICA

Com a derrota, a equipe de São Januário se manteve na zona de rebaixamento, com 37 pontos e aumentando ainda mais o drama no fim do campeonato. Luxa confessou que quase não voltou para o segundo tempo, mas ficou com medo do Vasco perder pontos por isso.

Foto: Rafael Ribeiro / Vasco
Foto: Rafael Ribeiro / Vasco

"Pensamos, mas correríamos o risco de perder mais pontos além dos três. Se acabar a luz, tem que esperar voltar a luz. Se a linha não está funcionando, tem que esperar voltar a funcionar. Se não funcionar, para o jogo. Eles não tiveram a sensibilidade de fazer isso e foram prepotentes. O Flávio está de brincadeira em falar que vai ver em casa se está certo ou errado. O VAR está aí para poder auxiliar, isso é uma falta de respeito. Ele é um dos responsáveis pela derrota", disparou o treinador vascaíno.

INTERFERÊNCIA?

Além de Luxa, Alexandre Passaro, diretor executivo do Vasco, afirmou que a arbitragem pediu para retirar uma câmera da Vasco TV da beira do gramado, lesando os direitos do Vasco, em sua própria casa, alegando que poderia mostrar algum tipo de erro da arbitragem.

"Acho que cabe (anulação). O único jogo do Brasileiro que não teve essa do VAR foi esse. O que me preocupou foi eles tirarem a câmera do Vasco que está há muito tempo no mesmo lugar alegando que poderia mostrar um erro deles no jogo. É um absurdo grande. Caboclo tem que investigar", afirmou Luxemburgo.

ENTENDA O CASO

O Colorado abriu o placar ainda no primeiro tempo, com Rodrigo Dourado e o lance foi para o VAR confirmar.

Entretanto, o sistema apresentou falhas, com a linha para identificar o impedimento descalibrada e a decisão em campo foi mantida, ou seja, o gol foi validado.

O problema foi confirmado pelo autor do gol, que conversou com o juiz, mas achou que estava mesmo em posição legal.

Depois do lance, já no segundo tempo, foi informado que o VAR foi revisado e o problema foi resolvido. Horas depois do jogo, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) soltou uma nota oficial, afirmando que pediu esclarecimentos à empresa que fornece os equipamentos e também de que a comissão analisou o lance.

CONFIRA A NOTA DA CBF:

"A Comissão Nacional de Arbitragem solicitou à empresa Hawk-Eye, responsável pela operação dos equipamentos do VAR, esclarecimentos sobre a questão técnica que prejudicou a utilização da linha de impedimento tridimensional em um dos lances do jogo entre Vasco e Internacional, válido pelo Campeonato Brasileiro, realizado neste domingo, dia 14.

A Comissão destaca que o lance, do primeiro gol do Internacional, mesmo assim foi checado pela equipe do VAR, não sendo constatado nenhum erro claro da arbitragem de campo. Portanto, conforme os princípios do Protocolo do VAR, foi corretamente mantida a decisão de campo de validar o gol."