Goleiro rebaixado em 2019 consegue liberação do Vasco na Justiça

O goleiro tem mais de um milhão de reais que não foram pagos pelo clube entre salários atrasados, 13º, FGTS e outros benefícios

por Agência Futebol Interior

Rio de Janeiro, RJ, 02 (AFI) – O goleiro Jordi conseguiu ser liberado do Vasco na Justiça. O jogador cobrava dívidas do clube e solicitou a rescisão indireta do contrato. O Vasco ainda pode recorrer da decisão.

Após perder em primeira instância, Jordi recebeu liminar da desembargadora Marise Costa Rodrigues, na 38ª Vara do Trabalho do Rio. O atleta cobra mais de um milhão de reais do clube em dívidas por mais de 20 meses de FGTS não recolhidos desde 2017, férias e 13º e parte do salário não recebido.

Mesmo com o caso correndo na Justiça, Jordi trabalhava normalmente no Vasco e vinha treinando com os demais companheiros.

Criado nas categorias de base do Vasco, o goleiro foi emprestado ao CSA no ano passado e chamou atenção ao se envolver em uma polêmica fora de campo.

Na ocasião, ele publicou um vídeo reclamando da estrutura do clube alagoano e alegando que não recebia almoço e nem mesmo talheres para se alimentar no centro de treinamentos.

A diretoria do CSA negou e, depois de algumas conversas, perdoou o jogador, que seguiu atuando no clube até o final do Campeonato Brasileiro, sem evitar, no entanto, o rebaixamento para a Série B.