Hoje a minha paixão incondicional completa 39 anos. Parabéns, União São João!

Clube de Araras, agora sem atividade, já sagrou-se campeão nacional no passado

por Nilson Zanchetta Junior

Araras, SP, 14 (AFI) - 14 de janeiro é um dia inesquecível para mim. Neste dia no ano de 1981 surgia o meu único time do coração, o União São João de Araras.

Hoje ao completar 39 anos quero parabenizá-lo, agradecê-lo e dizer o quanto esse time foi importante na minha formação.

Foi pelo União São João, este time tão vitorioso, tão glorioso que me apaixonei pelo rádio, pela TV e por futebol, nesta mesma ordem.

Ter me formado jornalista, proporcionou-me trocar a arquibancada pelo gramado, afinal, o que eu queria mesmo era estar cada vez mais perto do time, sentir a emoção, transmitir emoção. Esse sonho eu realizei. Emocionei-me com as vitórias e chorei com as derrotas.

Sabe o sentimento de amor que temos pela nossa mãe, pela nossa filha, pela nossa família, pois bem, é o mesmo que sinto pelo União São João, um amor incondicional, um amor de verdade. Parabéns União São João pelos 39 anos de história.

Um dos times emblemáticos do União São João de Araras
Um dos times emblemáticos do União São João de Araras

Todos os ararenses devem se orgulhar do União São João. Foi um time que marcou história. Assim como a cidade de Araras é pioneira em abolir a escravidão rompendo os grilhões dos escravos em 8 de abril de 1888, a primeira cidade do Brasil a realizar a Festa da Árvore no dia 7 de junho de 1902, o União São João também manteve a tradição do pioneirismo, afinal foi o primeiro time brasileiro a se tornar clube-empresa, isto em 1994.

Foi também o primeiro time do interior de São Paulo a contratar jogadores de grandes clubes, com passagem até pela Seleção Brasileira, casos dos goleiros Gilmar e Velloso, o lateral China, os meias João Santos, Aílton e Aílton Lira e os atacantes Washington, Éder Aleixo e João Paulo, entre outros.

O União São João tem marcado em sua história como o time que revelou o melhor lateral esquerdo do Brasil de todos os tempos, o craque Roberto Carlos.

JOGO MARCANTE

Gostaria de registrar aqui o jogo que mais me marcou do União São João. Foi no dia 10 de novembro de 1996, vitória diante do maior rival, o Mogi Mirim, por 1 a 0, em Mogi Mirim e a classificação nos pênaltis, por 3 a 1, para a fase decisiva do Campeonato Brasileiro da Série B daquele ano.

No jogo em Araras, o União havia perdido, por 1 a 0. Por isso, teve que ganhar no tempo normal lá e depois vencer nos pênaltis. Neste ano, o União conquistou o título de campeão brasileiro da Série B. Foi incrível, foi emocionante.

DECEPÇÃO

O jogo que eu mais fiquei decepcionado do União, foi no dia 17 de abril de 2005, derrota para o União Barbarense, por 3 a 1. Neste jogo, bastaria um empate contra o já rebaixado União Barbarense, que o União se livraria do rebaixamento. O União perdeu, 3 a 1, aqui em Araras e foi rebaixado.

VOLTA DISTANTE

Sei que é possível o União São João um dia voltar as suas atividades, embora acredite que esse dia está bem distante. Só digo uma coisa, construir de novo a história que construiu, isso é impossível.

Quem viu o time de Araras conquistar dois títulos brasileiros, da Série C em 1988 e da Série B em 1996, o título de campeão paulista da divisão intermediária (Série A2 do Paulista) em 1987, melhor time do interior no Paulistão de 1997, vice-campeão Paulista em 2002, 4 vezes no Brasileirão 1993, 1994, 1995 e 1997, jogos contra times internacionais do Japão, Turquia, México, Peru e Portugal, quem viu, viu! quem não viu, nunca mais. Talvez se voltar, chegue até o Paulistão.

MEUS ÍDOLOS E O MELHOR TIME QUE VI JOGAR

Separei dois jogadores por posição. Confesso que não foi nada fácil, deixei muitos craques de fora. Também escalei o melhor time que vi jogar. Vamos lá!

Camisa 1: Privatti e Veloso

Camisa 2: Edinho e Chiquinho

Camisa 3: Maciel e Fonseca

Camisa 4: Cláudio (depois Flamengo) e Henrique (depois Corinthians)

Camisa 6: Roberto Carlos e Léo (Santos)

Camisa 5: Vagner (São Paulo) e Odair

Camisa 8: Alexandre e Aílton Lira

Camisa 10: Glauco e Pía

Camisa 7: Israel e Celso Luiz

Camisa 9: Washington (casal 20) e Reinaldo (depois São Paulo)

Camisa 11: Éder Aleixo e João Paulo (Guarani)

Ficaram de fora da minha lista jogadores como os goleiros: Carlos Carioca, Adinam, Luiz Henrique e Silvio Roberto Marola; laterais pela direita: China e Jura; zagueiros: Beto Médice, Miranda, Lica, Andrei e Bernardi; laterais pela esquerda: Carlos Roberto e Ivonaldo; volantes: Marcelo Lopes, Robertinho, Fabricio, Vinicius Eutrópio e Pintado; meias: Flávio, Juninho, Edu Lima, João Santos, Danilo Sacramento, Juliano, Adauto e Humberto e os atacantes: Waldir Lins, Marcelo Conte, Giba, Galvão, Wilson e Esquerdinha.

O melhor time que vi jogar: Velloso, Edinho, Maciel, Cláudio e Roberto Carlos; Vagner (Odair), Alexandre e Glauco; Israel, Ozias e Esquerdinha (Éder Aleixo).

VEJA GALERIA DE FOTOS